Banner 468x60
Banner 180x60
Bom dia.
Terça-Feira, 22 de Maio de 2018.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 

 
 
Com mudança de rota, Theatro São Pedro reforça viés “de formação”; Jazz Sinfônica vai para o Memorial da América Latina (8/5/2017)

Em coletiva de imprensa realizada no início desta noite na Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o secretário adjunto Romildo Campello esclareceu as recentes mudanças ocorridas com a gestão do Theatro São Pedro e da Jazz Sinfônica. Como noticiado [leia aqui], após duas convocações públicas frustradas, a Secretaria não prorrogou o contrato do Instituto Pensarte, passando a gestão do teatro para a OS Santa Marcelina Cultura, entidade que cuida da Emesp (Escola de Música do Estado de São Paulo) e do Projeto Guri Capital e Grande São Paulo. Segundo Campello, a Procuradoria do Estado não aprovou uma nova prorrogação do contrato com o Instituto Pensarte, que gerenciava o teatro havia 5 anos e cujo contrato já havia sido prorrogado emergencialmente uma vez. “Uma nova prorrogação poderia caracterizar improbidade administrativa”, explicou o secretário adjunto.

Acompanhado do diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura, Paulo Zuben, Campello afirmou que a solução encontrada reforçará o papel educacional do Theatro São Pedro, que atuará na esfera da formação de profissionais, na de formação de público e na produção de óperas. Segundo a secretaria, a fusão dos contratos contribuirá para uma racionalização de despesas e evitará a sobreposição de ações – o exemplo citado foi a Academia de Ópera do Theatro São Pedro, cujo projeto perseguiria os mesmos objetivos do Ópera Estúdio da Emesp. “Vimos que há absoluta aderência da vocação educacional da Santa Marcelina com o que era feito no Theatro São Pedro”, afirmou o secretário. Questionado se a solução não significaria o fim do projeto original do Theatro São Pedro – que é o de ser o teatro de ópera do estado de São Paulo –, Campello afirmou ver na decisão adotada um reforço para a atividade lírica do teatro, acrescida de uma dimensão educacional importante para a política cultural do estado.

Campello garantiu que será mantido exatamente o mesmo plano de metas para o teatro, com o mesmo número de óperas, récitas, apresentações de música de câmara e demais atividades previstas no contrato original do Instituto Pensarte. O orçamento para o ano de 2017 será de R$ 7, 4 milhões, e a incorporação pela Santa Marcelina Cultura significará uma economia de cerca de R$ 3 milhões.

A Orquestra do Theatro São Pedro será reduzida a 33 músicos profissionais, o que significará a demissão de 19 integrantes do conjunto atual. Os postos serão ocupados por alunos bolsistas da Emesp. “Não creio que haverá perda de qualidade”, afirmou Zuben, lembrando que o orçamento disponível impõe a readequação do conjunto. Já os músicos da Orquestra do Theatro São Pedro reagiram às demissões, afirmando que o governo promove um desmonte do grupo, a “única orquestra especializada em ópera em atividade no Brasil”. Na opinião do músicos, o fato de os cargos serem preenchidos por bolsistas “consiste em uma descaracterização da profissão, privilegiando os subempregos, lamentavelmente uma tendência no cenário musical nacional atual”.

Serão realizadas 5 óperas por ano (portanto até o fim do ano mais quatro, já que Gianni Schicchi foi apresentada em abril). Mas o teatro não manterá o diretor artístico, o diretor de cena e os demais profissionais técnicos contratados para a temporada lírica. “As produções serão realizadas por empreitada, como projetos, e os profissionais serão contratados para cada uma das produções. Não faz sentido manter toda uma equipe contratada para a produção de apenas 5 óperas durante o ano”, disse o diretor da Santa Marcelina Cultura.

Questionado sobre os severos cortes que a Cultura e o Theatro São Pedro enfrentaram nos últimos anos, Romildo Campello afirmou que não pode responder pelo que já passou, que acredita que a fusão dos contratos beneficiará a música e os músicos (“vamos economizar sobretudo na parte administrativa”) e que a busca por novos recursos, sejam governamentais ou de outras fontes, é preocupação constante da secretaria.

Em 2017, o São Pedro, um dos teatros mais preciosos do estado de São Paulo, completa 100 anos de existência. E a decisão da secretaria da Cultura, de incorporar o teatro ao contrato da Santa Marcelina Cultura, significa uma mudança de rota. Há pelo menos 10 anos a casa vinha afirmando, com cada vez mais competência, sua vocação como teatro de ópera profissional voltado para a divulgação e difusão do repertório lírico.

Jazz Sinfônica vai para o Memorial da América Latina

A Jazz Sinfônica, grupo que havia restado no contrato do Instituto Pensarte após a Secretaria ter liquidado as atividades da Banda Sinfônica no início do ano, será realocada para o Memorial da América Latina (e não mais para a Fundação Padre Anchieta, como incialmente previsto). “A Jazz Sinfônica tem um perfil diferente que o perfil de formação do Theatro São Pedro e de sua orquestra. Ela tem um perfil de execução, que cabe muito melhor no Memorial da América Latina”, afirmou Romildo Campello.

O secretário adjunto garantiu que o orçamento integral da Jazz será mantido e que não haverá demissão de músicos. A Jazz Sinfônica deverá seguir ensaiando no Teatro Caetano de Campos até dezembro, quando o Auditório Simón Bolívar, do Memorial da América Latina, estiver reformado e pronto para uso.



Mais Notícias

Nelson Freire faz recital em Belo Horizonte (21/5/2018)
Grupos do Instituto Baccarelli fazem duas apresentações domingo no Masp (18/5/2018)
Banco do Brasil e João Carlos Martins lançam “Orquestrando o Brasil” (18/5/2018)
Claudio Cruz assume lugar de Tobias Volkmann na direção do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (17/5/2018)
Sala Cecilia Meireles recebe homenagem ao violoncelista David Chew (17/5/2018)
Pianista Fabio Martino toca o “concerto” de Schumann no Rio (16/5/2018)
Piano segue em destaque com a Filarmônica de Minas Gerais (15/5/2018)
Virada Cultural terá “La Traviata” e as “Quatro estações” (14/5/2018)
Osesp segue o mês com música barroca (14/5/2018)
Luís Gustavo Petri rege Osusp na Sala São Paulo (11/5/2018)
Irineu Franco Perpetuo lança livro sobre história da música no Brasil (10/5/2018)
Orchestre de la Suisse Romande vem a SP com dois grandes solistas (10/5/2018)
Cinco vezes Pahud com a Osesp (9/5/2018)
Theatro Municipal do Rio de Janeiro suspende “O juízo final” (9/5/2018)
“La traviata” abre temporada de óperas do Theatro Municipal de SP (8/5/2018)
Charlie Siem e Itamar Golan fazem recital pela Tucca (7/5/2018)
Harpa invade Rio de janeiro até o final do mês (4/5/2018)
Arvo Volmer segue Ciclo Beethoven com a Osesp (3/5/2018)
Theatro São Pedro apresenta “O matrimônio secreto “ de Cimarosa (30/4/2018)
Festival Amazonas abre edição com “Fausto” e “Dessana, Dessana” (27/4/2018)
Pianista Cristian Budu toca com Sinfônica Municipal e abre a série Tupinambach (27/4/2018)
Soprano argentina vence Concurso de Canto Maria Callas (26/4/2018)
Theatro Municipal do Rio apresenta ópera “Um baile de máscaras” em montagem multimídia (26/4/2018)
Piano brasileiro é tema de série da fundação Osesp (25/4/2018)
Jorge Takla assina nova produção de “La traviata”, de Verdi, em Belo Horizonte (20/4/2018)
Australiano de 10 anos vence Menuhin Competition; brasileiro Guido Sant’Anna é premiado (20/4/2018)
 
Ver todas as notícias anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Maio 2018 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
30 31 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31 1 2
 

 
São Paulo:

25/5/2018 - Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (CANCELADO)

Rio de Janeiro:
22/5/2018 - Koh Gabriel Kameda - violino (adiado para o dia 28)

Outras Cidades:
29/5/2018 - Vitória, ES - Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2018 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046