Aclamada montagem de “O Castelo do Barba Azul” é apresentada no Rio

por Redação CONCERTO 01/12/2011

Um sinistro duque habita um majestoso castelo. Suas portas e segredos vão sendo gradualmente revelados à jovem esposa do duque Barba Azul, Judith, até o momento em que um terrível mistério se revela e sela a tragédia da bela donzela. Tensão e simbolismos são os elementos que conduzem o libreto de O castelo do Barba Azul, ópera em um ato que o húngaro Béla Bartók compôs a partir do libreto de Béla Balázs, que por sua vez baseou sua versão para esta famosa lenda no texto de Charles Perrault.

 

A encenação de O castelo do Barba Azul que este mês ganha o palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro (TMRJ) é uma remontagem de uma produção original que o Palácio das Artes, de Belo Horizonte, estreou em 2006, e que já foi reexibida para os paulistanos em 2008. No Rio de Janeiro as récitas acontecem neste domingo, dia 4, e nos dias 6, 8 e 10.

Trata-se de um aclamado trabalho do diretor de teatro Felipe Hirsch, numa parceria com a cenógrafa Daniela Thomas. Participam o baixo gaúcho Luiz Molz e a soprano paulista Céline Imbert, que já havia desempenhado a indefesa Judith nas produções anteriores. A dupla cantará a partir da versão com texto em alemão, e não em húngaro, da partitura, que será executada pela Orquestra Sinfônica e pelo Coro do Teatro Municipal do Rio de Janeiro sob a regência do maestro Aylton Escobar. A produção conta também com a participação especial do ator Guilherme Weber como o narrador do prológo da ópera.

[Veja detalhes no Roteiro Musical]