Chileno Maximiano Valdés rege Sinfônica Municipal de São Paulo com solos de Claudio Cruz

por Redação CONCERTO 19/07/2013

Neste sábado, dia 20 de julho às 20h, e no domingo, 21 às 11h, a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo se apresenta no Theatro Municipal com o maestro chileno Maximiano Valdés. Eles interpretam a Abertura da ópera O navio fantasma, de Wagner, a Sinfonia nº 2, Op. 43, de Jean Sibelius e, com a participação do violinista Claudio Cruz, o Concerto para violino em ré maior de Igor Stravinsky.

 

Desde 1994 o maestro chileno Maximiano Valdés é diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica do Principado as Astúrias; e em 2008 foi nomeado diretor musical e regente titular da Sinfônica de Porto Rico. Nascido em Santiago, de ascendência asturiana, Valdés estudou no Conservatório Nacional do Chile e depois na Accademia di Santa Cecilia em Roma. Na Itália, ele estudou composição com Goffredo Petrassi, assim como piano e violino, e foi aluno de regência de Franco Ferrara em Roma e Veneza.

Em 1976 ele foi eleito regente assistente no Teatro La Fenice, em Veneza, e no ano seguinte foi convidado para Tanglewood, onde trabalhou com Leonard Bernstein e Siji Ozawa. Ele começou a carreira profissional em 1982, depois de vencer importantes prêmios internacionais na Competição Vittorio Gui, em Florença, e na competição Nikolai Malko em Copenhagen.
Ele foi ainda regente principal da Orquestra Sinfônica Euskadi e, por três temporadas, principal regente convidado da Orquestra Nacional da Espanha.

Claudio Cruz começou na música com o pai, o luthier João Cruz, e posteriormente recebeu orientações de Erich Lenninger, Maria Vischnia e George Olivier Toni. Foi premiado pela Associação Paulista de Críticos de Artes - APCA , Prêmio Carlos Gomes, Prêmio Bravo, Grammy Awards, entre outros. Tem atuado como regente convidado de orquestras como as sinfônicas Brasileira, Municipal de São Paulo, de Porto Alegre, de Brasília, do Estado de São Paulo (Osesp), além das orquestras de câmara de Osaka e Toulouse, Sinfônica de Avignon, entre outras. Foi diretor musical da Orquestra de Câmara Villa-lobos e regente titular das sinfônicas de Ribeirão Preto e de Campinas. Desde 1990 ocupa o cargo de spalla da Osesp e atualmente é o regente e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado.

Na temporada 2012-13 regerá a Northern Sinfonia (Inglaterra), a New Japan Philharmonic, Hyogo Academy Orchestra, Hiroshima Symphony (Japão), Svogtland Philharmonie (Alemanha), Jerusalem Symphony Orchestra, entre outras.

[Veja detalhes no Roteiro Musical]