Conjunto de Música Antiga da USP apresenta “Les Arts Réunis” de Lully

por Redação CONCERTO 15/09/2011

Neste sábado e domingo o Conjunto de Música Antiga da Universidade de São Paulo apresenta na Sala Olido, com entrada franca, a encenação completa de Les Arts Réunis, com música do compositor, violinista e bailarino francês Jean-Baptiste Lully e coreografia de Raoul Auger Feuillet (1631-1705).
 
A apresentação conta os 20 músicos do conjunto e ainda com dois atores, seis cantores e quatro bailarinos - entre eles as duas bailarinas barrocas mais importantes da Inglaterra, Mary Collins (Royal Academy of Dance) e Barbara Segal (Royal Academy of Music). Outro bailarino a compor o grupo de solistas é o brasileiro naturalizado luso-britânico Ricardo Barros, que também assina a direção artística da ópera.

 

Bailarino barroco e músico, Ricardo Barros é PhD em dança e música teatrais francesas dos séculos XVII e XVIII, e um dos poucos especialistas a conciliar conhecimento e prática do panorama da dança e música do período barroco. A despeito de um dos maiores especialistas mundiais no assunto ser um brasileiro, o trabalho voltado para a dança barroca permanece inédito no país.

 

Já a direção musical fica a cargo de Mônica Lucas, professora e coordenadora do Conjunto de Música Antiga da ECA-USP, e João Guilherme Figueiredo, que também assume a regência.
 
A obra Les Arts Réunis propõe a recriação do passado como fonte de conhecimento do presente, ao tratar de questões atuais, como a que diz respeito aos limites específicos de cada arte e seu poder passional sobre a alma humana. Já no prólogo, as alegorias da Comédie, da Musique e do Ballet se apresentam e comparam entre si suas virtudes específicas, mas concluem que, quando unidas, têm poder infinito sobre a alma humana.
 
Nos quatro atos que se seguem, a dramaturgia incide sobre o Amor, através das relações de personagens da mitologia grega como Orfeu, Eurídice, Daphne, Apolo, Cupido, Aristeu e Hades. Depois de conflitos e agruras, os casais da bucólica Arcádia festejam a vitória do Amor, invencível força humana, que se sobrepõe às glórias terrenas e até mesmo à morte.
 
[Veja detalhes no Roteiro Musical]