Domingo dia 4 tem Filarmônica de Berlim ao vivo no Digital Concert Hall

por Redação CONCERTO 03/12/2011

Neste domingo, às 17 horas (horário de Brasília), internautas brasileiros podem acompanhar, ao vivo e em tempo real, a apresentação da Filarmônica de Berlim na Sala Philharmonie (em Berlim), pelo computador no Digital Concert Hall (DCH). Acessando o DCH pelo Site CONCERTO você ganha 10% de desconto nos ingressos (clique aqui para saber mais). Se você é assinante da Revista CONCERTO, utilize o código do voucher que você recebeu junto com a edição de dezembro e desfrute de 48 horas gratuitas no Digital Concert Hall (48 horas consecutivas contadas a partir da entrada na sala de concertos digital – clique aqui para trocar o código do voucher).

 

O programa deste domingo traz a Filarmônica de Berlim sob regência do maestro húngaro Iván Fischer e a participação do violinista polonês Daniel Stabrawa. Leia a seguir o texto informativo divulgado pelo Digital Concert Hall:

Quando Iván Fischer dirige a Filarmônica de Berlim, ele regularmente traz preciosidades musicais de sua pátria húngara. Normalmente o ouvinte se surpreende e pergunta: por que não ouvimos essa magnífica música antes? Essa reação também está prevista nesse seu novo trabalho, com os Minutos sinfônicos de Ernö Dohnányi e o Concerto para violino nº 3 de Jenö Hubay. Do grande repertório clássico-romântico ainda ouviremos a Sinfonia nº 5 de Franz Schubert.

Os Minutos sinfônicos de Ernö Dohnányi de 1933 e o Concerto para violino nº 3 finalizado em 1907 de Jenö Hubay contêm o fogo e a melancolia que associamos à música húngara, sem deixar de ser, ao mesmo tempo, originais e surpreendentes. Também nota-se que as composições estão enraizadas no século XIX e sobretudo na música de Johannes Brahms. Como solista do concerto de Hubay ouviremos o violinista Daniel Stabrawa, que é membro da Filarmônica de Berlim desde 1983 e que, três anos depois, tornou-se primeiro spalla da orquestra.

Na sinfonia de Schubert também é possível ouvir a ligação a um exemplo anterior, nesse caso Wolfgang Amadeus Mozart. Poucas semanas antes dessa composição, o jovem Schubert de 19 anos enaltecia em seu diário os “sons mágicos da música de Mozart”. Sua Sinfonia nº 5 dá a impressão de ecoar algo da famosa Sinfonia nº 40 em sol menor: no início flutuante, no tema do scherzo e na leveza cristalina da formação orquestral.

Serviço:
Domingo, 4/12, 17 horas (horário de Brasília)
Berliner Philharmoniker
Iván Fischer, regente
Daniel Stabrawa, violino
Obras de Ernö Dohnány (Minuetos sinfônicos op. 36), Jenö Hubay (Concerto para violino nº 3) e Franz Schubert (Cinco danças alemãs e Sete trios com coda D 90; Sinfonia nº 5)

Clique aqui para entrar na página do Digital Concert Hall.