Festival do Sesc investiga diferentes facetas da música de câmara

por Redação CONCERTO 22/11/2016

Com cerca de 50 concertos, a segunda edição do Festival Sesc de Música de Câmara vai reunir a partir desta terça, dia 22, e até o dia 4 de dezembro, importantes grupos internacionais e brasileiros para montar um amplo e rico painel desse repertório. As apresentações acontecem em diversas unidades do Sesc São Paulo e também em unidades do interior, em cidades como Araraquara, Campinas, São José dos Campos e Santos. A curadoria é de Claudia Toni.

 

A programação foi dividida em diferentes eixos. O primeiro joga luz sobre a música antiga, com grupos como o L’Arpeggiata, da França, capaz de assumir diferentes formações de acordo com o repertório apresentado, em uma trajetória que inclui parcerias com artistas como o contratenor Phillipe Jarroussky; o Pera Ensemble, da Alemanha; o Vox Luminis, da Bélgica; e o Coro Jovem do Estado de São Paulo.

Formações mais clássicas da música de câmara estão representadas na presença do Trio Appasionata, criado nos Estados Unidos pelo pianista brasileiro Ronaldo Rolim; o Giocoso String Quartet, da Austrália; e a Camerata Ilumina, resultado do trabalho realizado pelo festival criado pela violinista Jennifer Stum no interior de São Paulo.

O piano, por sua vez, aparece na forma de dois duos: o GisBranco e o conjunto formado por Celina Szrvinsk e Miguel Rosselini. Já os sopros garantirão presença por meio do conjunto americano Imani Winds.

[Veja mais no Roteiro Musical]