Filarmônica de Dresden e Frühbeck de Burgos apresentam-se no Brasil

por Redação CONCERTO 30/04/2010

Com 140 anos de uma história que já a colocou frente a frente com nomes como Johannes Brahms, Antonín Dvorák e Richard Strauss, a Orquestra Filarmônica de Desden é a segunda atração da Temporada 2010 da Sociedade de Cultura Artística, na Sala São Paulo, dias 3 e 4 de maio. Sob regência de seu diretor artístico, o espanhol Rafael Frühbeck de Burgos, o grupo será acompanhado pelo violoncelista teutocanadense Johannes Moser.

 

Serão dois programas distintos. No dia 3, serão apresentadas Brahmsliebewalzer nº 2, de Wolfgang Rihm, o Concerto para violoncelo, de Robert Schumann, e a Sinfonia nº 1, de Johannes Brahms. Já no dia 4, o repertório traz o poema sinfônico Dom Quixote, de Richard Strauss, e a Sinfonia nº 2, de Brahms.

A Orquestra Filarmônica de Dresden realizou seu primeiro concerto no Gewerbehaussaal em 29 de novembro de 1870, sob o nome de “Gewerbehausorchester”. A mudança para o nome atual deu-se em 1915, quando passou a receber incentivo financeiro da cidade sede. Ao longo desta trajetória, compositores consagrados conduziram seus próprios trabalhos diante da orquestra.

Desde 2004, o maestro Rafael Frühbeck de Burgos é o diretor artístico da orquestra. Frühbeck trabalhou como diretor musical da Rundfunkorchester Berlim e da Deutsche Oper Berlin; foi o maestro principal da Orquestra de Bilbao e da Sinfônica de Viena, bem como maestro convidado principal de inúmeras orquestras na Europa, nos Estados Unidos  e Japão. Sob a sua direção, a Filarmônica gravou CDs aclamados pela crítica especializada, que incluem obras de Strauss, Wagner, Bruckner e Brahms. Em 2008, realizou a primeira gravação da Sinfonia nº 9, de Alfred Schnittke para a ECM Records.

A Orquestra Filarmônica de Dresden também se apresenta dia 2 no Rio de Janeiro, pela temporada da Dell’Arte.

[Assista ao vídeo do maestro Rafael Frühbeck de Burgos]