José Mindlin falece aos 95 anos

por Redação CONCERTO 01/03/2010

O bibliófilo José Mindlin, presidente da Sociedade de Cultura Artística, faleceu ontem em São Paulo, aos 95 anos. Ao longo de sua vida, Mindlin formou um dos mais importantes acervos de literatura e manuscritos históricos do país, que doou a USP em 2006. Como empresário, Mindlin construiu uma grande empresa de autopeças, a Metal Leve, que com o processo da globalização acabou vendendo para a multinacional alemã Mahle. Nos anos 70, José Mindlin foi Secretário de Estado da Cultura de São Paulo.

Leia a seguir a biografia de José Mindlin publicada na Wikipedia:

José Ephim Mindlin (São Paulo, 8 de setembro de 1914 – São Paulo, 28 de fevereiro de 2010) foi um advogado, empresário e bibliófilo brasileiro.
Filho do dentista Ephim Mindlin e de Fanny Mindlin, judeus nascidos em Odessa, formou-se na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Advogou por alguns anos, atividade que deixou para fundar a empresa Metal Leve, que mais tarde se tornou uma potência nacional no setor de peças para automóveis. José Mindlin deixou a empresa em 1996. Posteriormente, entre outras atividades, presidiu a Sociedade de Cultura Artística.

Após sua aposentadoria do mundo empresarial, Mindlin pôde dedicar-se integralmente a uma paixão que tinha desde os treze anos de idade: colecionar livros raros. Seu primeiro livro foi Discours sur l'Histoire universelle de Jacques-Bénigne Bossuet, de 1740. Ao completar 95 anos de idade, acumulava um acervo de aproximadamente 40 mil volumes, incluindo obras de literatura brasileira e portuguesa, relatos de viajantes, manuscritos históricos e literários (originais e provas tipográficas), periódicos, livros científicos e didáticos, iconografia e livros de artistas (gravuras). É considerada como a mais importante biblioteca privada do gênero, no Brasil.

Em 20 de junho de 2006 Mindlin foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras, onde passou a ocupar a cadeira número 29, sucedendo a Josué Montello. Após saber da vitória na eleição, Mindlin declarou: “De certa forma, corôa uma vida dedicada aos livros”. No mesmo, ano Mindlin decidiu doar todas as obras brasileiras da vasta coleção à Universidade de São Paulo (USP). A partir de então, ela passou a ser chamada de “Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin”. O prédio da biblioteca, dentro do campus da USP, está em construção.