Karabtchevsky pede demissão da Sinfônica de Porto Alegre

por Redação CONCERTO 10/11/2010

O maestro Isaac Karabtchevsky, de 75 anos, divulgou ontem seu pedido de demissão da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre – Ospa, onde ocupava o cargo de regente titular e diretor artístico desde 2003.

 

Os motivos, segundo o regente, foram, dentre outros, a demora na construção da nova sede da orquestra, o Teatro da Ospa, e também a não implementação de um projeto de levar a música a comunidades carentes.

De acordo com o presidente da Fundação Ospa, Ivo Nesralla, o início das obra do novo teatro deve ocorrer ainda este ano. Segundo ele, “tudo vai ser feito para mantê-lo no cargo”.

Issac, que é também diretor artístico da Orquestra Petrobras Sinfônica, no Rio de Janeiro, e diretor musical da Orchestre National des Pays de la Loire, na França, cumpre ainda compromissos com a Ospa até dezembro.

Leia abaixo a íntegra da carta de demissão de Isaac Karabtchevsky

Exmo. Sr. Presidente da Ospa

Dr. Ivo Nesralla

Querido amigo:

Em meio a concertos com a Orquestra Filarmônica do Teatro Colon de Buenos Aires, escrevo-te esta carta, esperando que ela o encontre com a saúde e disposição de sempre. Aproveito também para fazer um balanço do que foi nossa gestão nestes oito anos à frente da Ospa, tu como presidente e eu como diretor artístico e maestro titular.

Creio que o trabalho desenvolvido em duas gestões seguidas deu-nos a possibilidade rara de, ao não condicionar nossa atuação ao arco político, programar uma linha de ação mais eficaz no progresso da orquestra, seja através dos concursos para preenchimento de cargos, seja como na fixação de um repertório mais amplo e mais condizente às reais possibilidades do conjunto. Fico feliz por isso, pois, decorrente dessa política, a Ospa hoje se inscreve como um organismo sinfônico respeitado por toda a classe musical brasileira.

Faltou-nos apenas, e isso o constato com muita tristeza, realizar nosso velho sonho da construção do Teatro da Ospa. Também lamento não ter podido implementar outra aspiração, tão importante quanto o teatro: a exemplo do que venho fazendo há algum tempo com o governador Sergio Cabral e a secretária de Cultura Adriana Rattes, no Rio de Janeiro, levar a música a comunidades carentes, como uma forma de incluir o jovem dentro do processo social, dando-lhe identidade e uma razão de viver. Em 2011, este trabalho vai ser ampliado e projetado para todo o país. Num recente encontro com o ministro da Cultura, dr. Juca Ferreira, fixamos as bases para a realização de viagens nacionais da Orquestra Petrobras Sinfônica, da qual sou titular há oito anos, viagens estas que serão acopladas a oficinas, uma forma inteligente de propagar o movimento calcado no "El Sistema" venezuelano, disseminando a música por todos os rincões do país.

Será um trabalho insano, no qual estou envolvido diretamente, uma missão social e patriótica, faço-o por acreditar e julgar o movimento como uma redenção para toda uma geração de jovens talentos.

Assim sendo, meu tempo ficará bastante restrito, pois além dessa intensa atividade ainda terei compromissos internacionais a cumprir. É com muita tristeza que venho comunicar-te que não poderei mais continuar com meu trabalho em Porto Alegre, apesar de ter em ti o amigo constante, nos músicos fonte perene de satisfação e, na população gaúcha, uma verdadeira descoberta de humanidade. Agradeço também a extraordinária equipe artística e administrativa que nos acompanhou em todos esses anos, sem ela não teríamos alcançado nossos maiores objetivos.

Ainda realizarei com a Ospa alguns concertos em novembro e dezembro, mas gostaria que tu abraçasses a todos os amigos comuns e reiterasses meus sentimentos de amizade.

O grande abraço do amigo de sempre,

Isaac Karabtchevsky