Mexicana Alondra de la Parra comanda dois concertos da Sinfônica Brasileira no Municipal do Rio

por Redação CONCERTO 31/07/2014

A Orquestra Sinfônica Brasileira começa o mês de agosto com uma convidada de primeira linha: a maestrina mexicana Alondra de la Parra. Nascida em Nova York, De la Parra se mudou com sua família para a Cidade do México quando tinha apenas dois anos. Lá, iniciou seus estudos ao piano e ao violoncelo.

 

Aos 16, foi para Londres para estudar regência na Escola St. Leonards-Mayfield e, três anos depois, ingressou na Escola de Música de Manhattan, em sua cidade natal. Presença habitual nos palcos brasileiros, ela volta a reger a OSB após dois anos (esteve com o grupo em 2012); no ano passado, ela passou pelo país para comandar a Osesp.

Desta vez, no Rio de Janeiro, ela dirige a Sinfônica Brasileira em duas apresentações, ambas no Theatro Municipal. A primeira, no dia 2, tem a participação do pianista russo Pavel Kolesnikov. Nascido em Novosibirsk em 1989, Kolesnikov iniciou seus estudos formais com apenas seis anos, no Conservatório de Moscou. Mais tarde, passou pelo Colégio Real de Música de Londres. Sob a direção de De la Parra, ele interpreta o Concerto nº 3 de seu conterrâneo Sergei Rachmaninov. A maestrina ainda rege a orquestra na Sagração da primavera, de Igor Stravinsky.

O segundo compromisso da mexicana com a Sinfônica Brasileira é no dia 7, quando comanda um programa com a Sinfonia nº 2, Índia, de Carlos Chávez, a suíte de Pelléas et Mélisande, de Fauré, e o Danzón nº 2, de Arturo Márquez (confira a peça sob regência de De la Parra na seção Mídia).

[Veja mais no Roteiro Musical: dia 2 – dia 7]

Clássicos Editorial Ltda. © 2014 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.