Morre o “porta-voz” do Lied, o barítono alemão Dietrich Fischer-Dieskau

por Redação CONCERTO 18/05/2012

Faleceu nesta sexta-feira, dia 18 de maio, o barítono alemão Dietrich Fischer-Dieskau, dias antes de completar 87 anos. Dono de uma vasta discografia de óperas, oratórios e canções alemãs, Fischer-Dieskau tornou-se referência na interpretação das cantatas de Bach, óperas de Mozart e Wagner e principalmente das obras vocais de compositores como Brahms, Mahler, Schubert e Hugo Wolf.

 

Albert Dietrich Fischer-Dieskau nasceu em Berlim em 28 de maio de 1925. Foi indicado pela revista Classic CD do Reino Unido como segundo maior cantor do século XX (com Jussi Björling como maior do século), e teve participações históricas como na primeira audição mundial do War Requiem, de Benjamin Britten, na nova catedral de Coventry em 1962.

Ele começou a ter aulas de canto aos 16 anos e durante a Segunda Guerra Mundial foi capturado na Itália e mantido prisioneiro de guerra por dois anos pelo exército norte-americano. Ele retornou à Alemanha em 1947 e iniciou a carreira como cantor, interpretando o Réquiem alemão de Brahms, dando o primeiro recital em Leipzig no outono de 1947. No ano seguinte entrou como principal baritone da Städtische Oper Berlin, estreando com Don Carlos, de Verdi.

A partir de então, passou a frequentar os principais palcos da Europa, sendo requisitado para gravações e apresentações por todo o mundo. Foi eleito pela revista TIME como o melhor cantor de Lied do mundo, e recebeu premiações como a Léonie Sonning, o Ernst von Siemens, o Polar Music Prize e passou a figurar no Hall da Fama da revista inglesa Gramophone.

Fischer-Dieskau faleceu em sua casa, em Berg, na Alemanha.