Musica Brasilis leva a São Paulo e Rio música da 'belle époque'

por Redação CONCERTO 25/04/2011

Com concepção e coordenação geral de Rosana Lanzelotte, estreia neste mês a segunda edição do Circuito BNDES Musica Brasilis. São Paulo (dia 26 no Teatro Cultura Artística-Itaim) e Rio de Janeiro (dia 29 no Teatro Municipal ) serão as primeiras cidades a receber o espetáculo 1911-2011 – os bambas da bela época.

 

Em 1911 é escrito o texto de Forrobodó, a opereta de maior sucesso de Chiquinha Gonzaga, com mais de 1.500 apresentações. É a primeira vez que o teatro retrata a população negra e pobre, com atores brancos travestidos de negros, que por sua vez satirizam os brancos. É o povo imitando a elite, que teve que aceitar nos salões aristocráticos a moda e a dança criada pelo povo: o maxixe, a “dança proibida”. Ao mesmo tempo, naquele momento, em plena belle époque brasileira, estão no auge de sua criatividade alguns dos mais geniais compositores brasileiros: Ernesto Nazareth, Luciano Gallet, Glauco Velásquez, Francisco Braga e Henrique Oswald, ao mesmo tempo em que desponta o jovem Heitor Villa-Lobos.
 
Vida e música desses autores é tema do espetáculo 1911-2011, que tem texto de Tim Rescala e direção de Carla Camurati. A história se passa numa casa de música fictícia, “Ao violino de bronze”, simultaneamente em 1911 e 2011, e é interpretada por Rosana Lamosa (soprano), Sandro Christopher (barítono), Maria Teresa Madeira e Rosana Lanzelotte (pianos), Her Agapito (violino), além da Camerata Musica Brasilis, regida por Felipe Prazeres. Além do espetáculo, o projeto inclui a edição das partituras apresentadas, que ficarão disponíveis ao público no portal www.musicabrasilis.org.br.

Outras produções do projeto Musica Brasilis ainda serão apresentadas pelo país até o meio do ano.

[Veja detalhes no Roteiro Musical do Rio e de São Paulo]