Óperas de Villa-Lobos e Camargo Guarnieri marcam Semana de 22 no Municipal de São Paulo

por Redação CONCERTO 13/02/2012

Duas óperas se revezam no palco do Teatro Municipal de São Paulo a partir desta semana, nas comemorações dos 90 anos da Semana de Arte Moderna de 1922. As apresentações acontecerão entre os dias 15 e 26 de fevereiro (a “Semana de 22” ocorreu entre os dias 13 e 26 de fevereiro no próprio Teatro Municipal).

 

Nos dias 15, 17, 19, 23 e 25 será apresentada Magdalena, de Villa-Lobos, na encenação do Theatre du Chatelet de Paris de 2010 com direção musical e regência de Luís Gustavo Petri. A montagem conta com a participação da Orquestra Sinfônica Municipal, do Coral Lírico e do Coral Infantil Heliópolis (Instituto Baccarelli). No elenco, Rosana Lamosa (Maria), Luciana Bueno (Teresa), Rubens Medina (Pedro), Sávio Sperandio (General Carabaña), Saulo Javan (Padre José), Miguel Geraldi (O Velho Homem), Paulo Queiroz (Zoggie) e Pedro Ometto (Major Blanco).

Nos dias de descanso do elenco de Magdalena, o palco do Municipal recebe Pedro Malazarte, de Camargo Guarnieri, com direção musical e regência de Carlos Moreno e direção cênica e cenografia de Cleber Papa, dias 16, 18, 24 e 26 de fevereiro. O elenco da ópera conta com Sebastião Teixeira (Pedro Malazarte), Ednéia Oliveira (Baiana) e Eric Herrero (Alemão).

Antes de Pedro Malazarte, que é uma ópera curta em um ato, o Balé da Cidade de São Paulo apresentará a coreografia de Lara Pinheiro para a Suíte Vila Rica, também de Guarnieri, acompanhado pela Sinfônica Municipal.

A comemoração seguirá no dia 25 com a apresentação do pianista Caio Pagano em um repertório que terá obras mostradas durante a Semana de Arte Moderna. Na segunda parte do programa, Pagano se junta ao Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo para interpretar o Quinteto op. 44 de Schumann.

A Orquestra Experimental de Repertório também participa da comemoração, no dia 26, em um concerto que terá regência de Jamil Maluf e solos do pianista Pablo Rossi. No programa, a fantasia para piano e orquestra Momoprecoce, de Villa-Lobos, além do Batuque de Lorenzo Fernandez e da Sinfonia popular nº 1 de Radamés Gnattali.