Osesp toca com Renaud Capuçon e Marin Alsop, com transmissão ao vivo pela internet

por Redação CONCERTO 24/08/2011

O violinista francês Renaud Capuçon é o convidado da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo nos dias 25, 26 e 27 de agosto, em um concerto especial com a regente titular da Osesp a partir de 2012, a norte-americana Marin Alsop. Juntos, eles apresentam o Concerto para violino op. 35 de Korngold e a Sinfonia nº 5 de Prokofiev.

 

O concerto de sábado, dia 27 às 16h30, será o primeiro transmitido pela Fundação Osesp ao vivo, pela internet. Saiba mais.

O francês Renaud Capuçon nasceu em Chambéry em 1976 e estudou no Conservatoire National Supérieur de Musique de Paris e depois em Berlim com Thomas Brandis e Isaac Stern, ganhando o prêmio da Berlin Academy of Arts. Em 1997, foi convidado por Claudio Abbado para o posto de concertmaster da Gustav Mahler Jugendorchester. Desde então tem tocado como solista com orquestras como a Filarmônica de Berlim, Boston Symphony, Orchestre de Paris, Orquestra Simon Bolivar, London Symphony, City of Birmingham Symphony, Philadelphia Orchestra, Chicago Symphony, dentre outras. Em música de câmara, trabalhou com parceiros como Argerich, Barenboim, Bronfman, Grimaud, Kovacevich, Pires, Pletnev, Repin, Bashmet e o violoncelista Gautier Capuçon. Participou também de festivais como os de Edinburgh, Mostly Mozart, Berlim, Lucerna, Verbier, Aix-en-Provence, Roque d’Anthéron, San Sebastian, Stresa, Tanglewood e muitos outros. Renaud Capuçon toca com um violino Guarneri del Gesù “Panette” 1737.

Nascida em Nova York, filha de uma violoncelista na Orquestra do New York City Ballet, Marin Alsop iniciou os estudos de violino aos três anos e estudou na Yale University e na Juilliard School. Aluna de Leonard Bernstein, foi a primeira artista a receber, na mesma temporada,  o prêmio de “Artista do Ano” no Gramophone Award e no Royal Philharmonic Society's Conductor's Award. Venceu ainda o Classical Brit Award for Best Female Artist, o Royal Philharmonic Society's BBC Radio 3 Listeners Award e o European Women of Achievement Award. Ela rege regularmente orquestras como a Filarmônica de Nova York, a Orquestra da Filadélfia, a Filarmônica de Los Angeles, a Sinfônica de Londres, a do Royal Concertgebouw, a Tonhalle de Zurique, a Orquestra de Paris e a Orquestra do Teatro alla Scala de Milão.