Palácio das Artes de Belo Horizonte apresenta a ópera “Romeu e Julieta”, de Gounod

por Redação CONCERTO 20/05/2016

Uma nova produção da ópera Romeu e Julieta, de Gounod, fica em cartaz até o dia 29 no Palácio das Artes de Belo Horizonte. A montagem relembra os 400 anos de morte de William Shakespeare, autor da peça que serve de base ao libreto, e é o primeiro título de ópera comandado pelo maestro Silvio Viegas em seu retorno à Orquestra Sinfônica de Minas Gerais.

 

Romeu e Julieta estreou em 1857, em Paris, com libreto de Jules Barbier e Michel Carré, após o sucesso da ópera anterior de Gounod, Fausto. O destaque da partitura é a presença de uma série de duetos de amor entre os dois protagonistas, os jovens de famílias rivais que tentam a todo custo ficar juntos. Romeu e Julieta serão interpretados, em Belo Horizonte, por dois jovens cantores de carreira ascendente: a soprano argentina Oriana Favaro e o tenor brasileiro Giovanni Tristacci. Estrela do canto lírico brasileiro, o barítono Paulo Szot interpreta Mercucio. Completam o elenco o barítono Eduardo Amir (Capuletto), o baixo Savio Sperandio (Frei Lourenço) e o tenor Tiago Soares (Teobaldo).

A direção cênica é do argentino Pablo Maritano, que pretende ressaltar o “amor fugitivo” ao narrar a história de dois jovens que, segundo ele, “querem fugir da sociedade, das regras vigentes”. A produção conta ainda com a participação de profissionais de outros grupos símbolo da vida cultural mineira: Pedro Pederneiras, do Grupo Corpo, assina a iluminação, e as coreografias ficam a cargo de Lydia del Picchia, do Grupo Galpão.
 
[Veja mais no Roteiro Musical]