Petrobras Sinfônica anuncia temporada 2015 e abre venda de novas assinaturas

por Redação CONCERTO 03/12/2014

Cinco séries de concertos compõem temporada 2015 da Orquestra Petrobras Sinfônica, que se espalha diversos palcos do Rio de Janeiro. Além do maestro Isaac Karabtchevsky, vários regentes convidados e solistas de prestígio participam da programação, que começa no dia 7 de março, quando será apresentada, no Theatro Municipal, a Sinfonia nº 8 de Anton Bruckner.

 

As duas séries de assinaturas da orquestra – Portinari e Djanira – terão quatro concertos cada, sempre no Municipal. Karabtchevsky, além da sinfonia de Bruckner, rege mais três programas, com um repertório composto por peças como o Concerto para violão e orquestra de Francisco Mignone (com solos de Fábio Zanon), a Sinfonia nº 5 de Mendelssohn, o Concerto gregoriano para um violino, de Respighi (com o violinista Domenico Nordio), a Sinfonia nº 2 de Brahms e o Concerto nº 3 para piano e orquestra de Rachmaninov (com solos do pianista Barry Douglas).

Violinista e maestro, Julian Rachlin vai comandar o grupo e atuar como solista em concerto dedicado a obras de Mendelssohn. Roberto Tibiriçá, por sua vez, rege obras de Carlos Malta, Radamés Gnattali e Tchaikovsky; Rodolfo Fischer, de José Orlando Alves, Chopin e Beethoven; e Carlos Prazeres recebe o barítono Paulo Szot como solista nas Canções e danças da morte, de Mussorgsky. O período de renovação de assinaturas vai até 12 de dezembro; então, do dia 15 de dezembro até 13 de fevereiro de 2015, acontece o período de novas assinaturas. Os pacotes com quatro ou oito concertos das duas séries custam entre R$ 70 e R$ 576 e podem ser feitas pelos telefones (21) 2252-3147 e (21) 2252-2633, ou pelo site da orquestra.

Outras séries
Na série Mestre Athayde, serão quatro apresentações, sempre em igrejas do Rio de Janeiro. O repertório, no entanto, não se limita à música sacra, e tem obras de Mozart, Haydn, Orff, Françaix, Britten, Dmitri Cervo e Armando Prazeres. Entre os artistas convidados, estão os maestros Felipe Prazeres, Tobias Volkmann e Sammy Fuks. Já na série Iberê Camargo, será apresentada A arca de Noé, de Vinicius de Moraes, em quatro datas na Sala Cecilia Meireles e no Espaço Tom Jobim.

Em 2015, com a reinauguração da Sala Cecilia Meireles, a Opes volta a ter uma série de concertos no espaço. O primeiro, em março, terá a participação, ao piano e como regente, de Jean-Louis Steuerman, em obras de Villa-Lobos, Bach, Finzi e Mozart. Em junho, Karabtchevsky comanda um programa com Alberto Nepomuceno, Beethoven e a Suíte Pulcinella, de Stravinsky. E, em setembro, Felipe Prazeres rege o violoncelista Antonio Meneses no Concerto para violoncelo em dó maior de Haydn – o programa tem ainda Vivaldi, Hindemith e Tchaikovsky.

[Confira aqui a temporada 2015 da Orquestra Petrobras Sinfônica]

Clássicos Editorial Ltda. © 2014 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.