Prefeitura do Rio de Janeiro suspende apoio à OSB

por Redação CONCERTO 29/04/2013

Conforme matéria publicada no jornal “O Globo” de sábado passado (27/04), a prefeitura do Rio de Janeiro suspendeu o patrocínio de R$ 8 milhões que destinava à Orquestra Sinfônica Brasileira, uma das grandes orquestras do país e a principal sediada no Rio de Janeiro. O montante equivale a 20% do total do orçamento anual da orquestra, que é de cerca de R$ 40 milhões. Conforme a matéria do jornal, a decisão foi comunicada à OSB em carta datada de 18 de março, assinada pelo prefeito Eduardo Paes, em que “ele explica que não manterá o apoio porque a prefeitura precisa fazer um grande aporte de verba na preparação da cidade para os eventos esportivos dos próximos anos”. Ao explicar a medida, a prefeitura teria dito que ela faz parte de um contingenciamento que atinge diversas outras áreas.

 

Ainda conforme a notícia de “O Globo”, o secretário municipal de Cultura, Sérgio Sá Leitão, afirmou que a prefeitura tem interesse em apoiar a orquestra, mas que “o volume de recursos repassado à orquestra é muito grande. Individualmente, trata-se do maior beneficiário único da secretaria. É o mais pesado que temos”. O superintendente da OSB, Ricardo Levisky, acredita ser possível ainda reverter a decisão (“apostamos na capacidade de diálogo com a prefeitura e com o prefeito, que sempre foi muito positivo em relação ao trabalho que vínhamos desenvolvendo”) e solicitou uma reunião com o prefeito e o secretário.

 

[Clique aqui para ler a matéria de “O Globo”.]

 

Comentário

A suspensão do apoio da prefeitura do Rio de Janeiro vem em um momento em que a orquestra está reconquistando o prestígio e o reconhecimento dos quais desfrutava antes da crise de 2011, quando um projeto de requalificação do grupo levou à demissão de Roberto Minczuk da direção artística (Minczuk segue regente titular) e à criação da OSB Ópera & Repertório, uma segunda orquestra formada pelos músicos dissidentes.

Contingenciamento não pode significar abandono. O fato de a prefeitura ter de fazer um grande aporte de verbas para a preparação da cidade para os eventos esportivos dos próximos anos deveria servir de argumento a favor da manutenção (e da ampliação!) do apoio à OSB: cidade que abriga Copa do Mundo e Jogos Olímpicos é cidade civilizada; e cidade civilizada é cidade com orquestra sinfônica.