Retrospectiva 2011 – Janete Andrade (depoimento de dezembro de 2011)

por Redação CONCERTO 24/02/2012

O ano de 2011 foi importante para o estado com a reestruturação da Orquestra Sinfônica do Paraná. Acompanhamos o novo maestro Osvaldo Ferreira reorganizando o grupo e realizando uma agenda consistente de concertos, com um ótimo elenco de convidados. Frente ao grande trabalho que está sendo elaborado, esperamos que as expectativas da orquestra se efetivem. Com a Camerata Antiqua de Curitiba, acompanhamos uma temporada dirigida por Wagner Polistchuk. Em 2012, uma nova proposta de trabalho será implementada por meio de um conselho artístico compartilhado, com a participação do renomado violinista Luís Otávio Santos. A proposta é fazer que a Camerata se volte mais à sua gênese, não deixando de experimentar repertórios contemporâneos. Às vésperas de 2012, sinto-me honrada de estar na preparação da 30ª Oficina de Música de Curitiba, um dos grandes eventos de música do país, responsável por receber milhares de estudantes de todo Brasil e de outros países. Há trinta anos, a oficina ajuda gerações de músicos a encontrar novos mestres e, consequentemente, novos caminhos na formação musical. Em 2011, tivemos perdas irreparáveis na área do canto: a grande dama do canto lírico no Brasil, Neyde Thomas, que nos deixou em agosto, e, em novembro, a extraordinária e adorável Montserrat Figueiras, grande estrela da música antiga. Tive o privilégio de ter convivido com essas personalidades e, por isso, posso afirmar que o mundo perdeu pessoas que sempre buscaram, de forma incansável, por meio do diálogo musical, caminhos que conduzissem acima de tudo à paz e à harmonia. Com emoção e espiritualidade, ensinaram que não é suficiente escutar a música com os ouvidos, é preciso fazê-lo com a alma.

 

Janete Andrade, coordenadora de música erudita da Fundação Cultural de Curitiba