Retrospectiva 2012 – Silvio Viegas (depoimento de dezembro de 2012)

por Redação CONCERTO 24/01/2013

“O ano de 2012 foi de grandes desafios para todos do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Um ano que se desenhou de forma inesperada desde janeiro, quando três edifícios desabaram ao lado do teatro. Tal acidente mudou nosso ano. A recuperação das partes atingidas fez com que o início de nossa temporada ocorresse apenas no final de maio. Tivemos de realocar nossos corpos artísticos, que se empenharam na manutenção da programação – que teve de ser reduzida em função do acidente. Na metade do ano tivemos outra surpresa, pois, por um contingenciamento de verbas por parte do Estado, soubemos que não seríamos ressarcidos pelas obras emergenciais (feitas com verba originalmente destinada à programação artística) e que teríamos ainda uma redução de R$ 1,2 milhão em nossa receita, totalizando R$ 4,2 milhões a menos em nosso orçamento. Mesmo assim, o teatro levou ao palco quatro produções de balé, duas produções de ópera – Rigoletto e A viúva alegre –, concertos sinfônicos como o Réquiem de Mozart, Maracatu de Chico Rei, de Mignone, Réquiem, de Verdi, Alexander Nevsky, de Prokofiev, além da ópera Cavalleria rusticana, de Mascagni, em forma de concerto. Foram no total 87 apresentações com nossos corpos artísticos. Como disse, foi um ano de muitos desafios e que não espelhou o real desejo da direção artística do Teatro Municipal. O ano de 2013 se desenha com novos horizontes, em celebração com os 200 anos de nascimento de Verdi e Wagner. Estamos nos preparando para realizar uma temporada à altura das tradições do Municipal do Rio de Janeiro, com grandes títulos e grandes intérpretes. Tenho certeza de que 2013 será o ano que gostaríamos de ter realizado em 2012!”

Silvio Viegas, diretor artístico interino e regente titular da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro

[Leia outros depoimentos na edição de janeiro-fevereiro da Revista CONCERTO.]