Rio de Janeiro tem terceira edição da Folle Journée

por Redação CONCERTO 01/06/2009

Entre os dias 3 e 7 de junho, o Rio de Janeiro recebe a terceira edição da Folle Journée, maratona de eventos musicais concentrada em poucos dias. O projeto nasceu em Nantes, na França, e há alguns anos acontece em diversas cidades do mundo. A iniciativa chegou ao Rio em 2007 pelas mãos de seu criador, o produtor cultural René Martin.

Serão dezenas de concertos a preços populares em locais como a Sala Cecília Meireles, o Auditório do BNDES, o Teatro João Caetano e a Igreja Nossa Senhora do Carmo da Lapa. Se no ano passado o evento homenageou Beethoven, essa edição terá Mozart como compositor escolhido. Assim, serão interpretadas exclusivamente obras do mestre de Salzburg. Serão centenas de composições, incluindo aberturas de óperas, concertos para instrumentos variados, sinfonias e muita música de câmara, reunindo excelentes artistas nacionais e estrangeiros.

Na abertura, dia 3 de junho às 20 horas na Sala Cecília Meireles, a orquestra do evento – Orquestra Rio Folle Journée – interpreta a abertura de Così fan tutte, o Concerto para piano nº 20 e a Sinfonia nº 40. A regência será do maestro Roberto Tibiriçá e a solista a pianista Sonia Goulart.

Também marcam presença na Folle Journée artistas como o Octeto Villa-Lobos, os pianistas Berenice Menegale, Fanny Solter, Anne Queffélec e Jean-Claude Pennetier, o violoncelista Fabio Presgrave, o violista Gérard Caussé, o clarinetista Romain Guyot, o conjunto Calíope dirigido por Julio Moretzsohn e a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, que toca sob a batuta de seu maestro titular Fabio Mechetti tendo como solista Arnaldo Cohen.

[Clique aqui para consultar a programação completa do Rio Folle Journée 2009.]