Theatro Municipal do Rio de Janeiro adia estreia de “Orfeu e Eurídice”

por Redação CONCERTO 29/06/2016

A Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro anunciou o adiamento da estreia da ópera Orfeu e Eurídice, de Christoph Gluck, originalmente prevista para o próximo domingo, dia 3 de julho. O motivo do adiamento é o atraso do pagamento dos salários de artistas e funcionários do Theatro Municipal, que, em assembleia, decidiram por paralisar as atividades artísticas.

 

Os servidores do teatro já haviam emitido uma nota pública ontem (28/06), afirmando que “esta decisão [da paralisação] nos é extremamente difícil, pois desde o início desta crise temos nos esforçado para manter a programação estabelecida pela direção da FTM”. A nota também esclarece que “esta suspensão das atividades não é um movimento grevista reivindicatório, mas apenas a constatação de que não há, atualmente, condições mínimas de manutenção de toda a carga horária programada, dada a inadimplência do estado para com os servidores e funcionários”.

O comunicado da Fundação Theatro Municipal avisa que tão logo os vencimentos dos funcionários forem depositados, novas datas da estreia e das demais récitas serão divulgadas.

Leia abaixo a nota pública dos servidores e a nota da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro:

Nota pública sobre a paralisação das atividades na Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Em assembleia geral e extraordinária convocada pelo Sintac [Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Públicas da Ação Cultural do Estado do Rio de Janeiro] e as associações dos Corpos Artísticos da FTM/RJ, realizada no último dia 23 de junho de 2016, os servidores dessa Casa, reunidos, decidiram que, devido ao parcelamento do salário do mês de maio, e a ausência de previsão de pagamento do referido pagamento, paralisar, a partir desta data, as atividades artísticas e escalonar as atividades técnico-administrativas, visando ao mínimo deslocamento dos trabalhadores desta fundação, até a regularização do referido vencimento.
 
Esta decisão nos é extremamente difícil, pois desde o início desta crise temos nos esforçado para manter a programação estabelecida pela direção da FTM.
 
Entretanto, não se pode ignorar a situação anômala atual, em que grande contingente de servidores encontra-se impossibilitado de comparecer às atividades normais da Casa, devido à desorganização financeira causada pelos sucessivos atrasos nos pagamentos dos vencimentos pelo Governo do Estado, culminando com o parcelamento do último salário, referência maio de 2016.
 
Desejamos esclarecer que esta suspensão das atividades não é um movimento grevista reivindicatório, mas apenas a constatação de que não há, atualmente, condições mínimas de manutenção de toda a carga horária programada, dada a inadimplência do estado para com os servidores e funcionários.
 
Numa nova assembleia, realizada no dia 28 de junho de 2016, os servidores e funcionários da FTM/RJ, decidiram manter a paralisação, pois como amplamente divulgado na imprensa, o Governo do Estado do RJ, até a presente data, não definiu a data de pagamento da segunda parcela do salário de maio, agravando ainda mais a situação financeira dos trabalhadores desta fundação.
 
Rio de Janeiro, 28 de junho de 2016.
 
Pedro Ismael de Oliveira Neto, presidente da ACCOTEMURJ [Associação do Corpo Coral do Theatro Municipal do Rio de Janeiro]
 
Edifranc dos Santos Alves, presidente da ACOBATEMURJ [Associação do Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro]
 
Jesuina Noronha Passaroto, presidente da AMOSTEMURJ [Associação dos Músicos da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro]
 
Pedro Ismael de Oliveira Neto, presidente do Sintac/RJ [Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Públicas da Ação Cultural do Estado do Rio de Janeiro]”

Nota Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Devido à paralisação das atividades dos funcionários, em função do atraso do pagamento da segunda parcela dos salários do funcionalismo estadual, a Fundação Teatro Municipal do Rio de Janeiro informa que será adiada a estreia da ópera Orfeu e Eurídice, de Christoph Gluck, originalmente prevista para o dia 3 de julho.

Logo que os vencimentos forem depositados, serão divulgadas as novas datas da estreia e demais récitas. Oportunamente, o Setor de Informações do Theatro Municipal entrará em contato com os assinantes a fim de transferir seus ingressos ao calendário que será anunciado.
 
Rio de Janeiro, 29 de junho de 2016

FUNDAÇÃO TEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO