Violinista Julian Rachlin sola e rege músicos britânicos na Sala São Paulo

por Redação CONCERTO 23/06/2017

Depois de Isabelle Faust, em maio, e Vadim Repim, no início de junho, mais um grande violinista da atualidade desembarca em São Paulo: desta vez, o lituano Julian Rachlin. Após um início de trajetória dedicado exclusivamente ao instrumento, nos últimos anos ele tem se dedicado também à regência. E é nessa condição dupla que ele se apresenta na temporada da Cultura Artística, com a Royal Northern Sinfonia.

O grupo foi criado em 1958 e, recentemente, passou a desenvolver um trabalho conjunto com o Sage Gateshead, centro de difusão musical no norte da Inglaterra. Entre os artistas que já atuaram com a orquestra estão os brasileiros Antonio Meneses e Claudio Cruz, com quem gravaram versões de excelência de peças como o Concerto para violoncelo de Elgar.

Na Sala São Paulo, nos dias 27 e 28, serão apresentados dois programas distintos. O primeiro tem a abertura da ópera As bodas de Fígaro, de Mozart; o Concerto para violino e a Sinfonia nº 4, de Mendelssohn, e a Música fúnebre para viola e orquestra de cordas, de Hindemith. O segundo, por sua vez, conta com o Concerto nº 3 e a Sinfonia nº 40, de Mozart, e Lachrymae, de Britten.

[Veja mais no Roteiro Musical]