Retrospectiva 2016 – Jamil Maluf (depoimento de dezembro de 2016)

por Redação CONCERTO 25/01/2017

“2016 marcou o segundo ano da reestruturação artística e administrativa da Orquestra Sinfônica de Piracicaba. Fundada em 1900, a OSP é, provavelmente, a mais antiga sinfônica em atividade no Brasil. Ao longo de mais de um século ela se manteve por meio do trabalho voluntário de amantes da música sinfônica. A partir da reestruturação, a OSP passou a ter uma temporada regular de concertos, com doze programas anuais e a participação de maestros e solistas de expressão como convidados. Administrada por uma associação, a orquestra é mantida parcialmente por uma dotação anual da prefeitura de Piracicaba, através da Semac (Secretaria de Cultura), e por aportes da iniciativa privada, via Lei Rouanet. Além da temporada de concertos, a orquestra mantém uma intensa agenda de espetáculos didáticos, realizados em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação: ‘A, B, C do Dó, Ré, Mi’ e ‘Música nas escolas’ atingiram, em 2016, um público de aproximadamente dez mil crianças da rede municipal de ensino. Para o público em geral, a OSP realiza palestras denominadas ‘O meu concerto de hoje’, antes dos concertos regulares da temporada, com o maestro do dia falando sobre obras que serão executadas. A resposta entusiasmada do público piracicabano confirma nossa crença na necessidade urgente de se incentivar os conjuntos sinfônicos, que vêm proliferando em cidades de médio e grande porte no interior de São Paulo, com reflexos também no aumento do mercado de trabalho para músicos e produtores musicais. Descentralizar os meios de criação e difusão dos bens culturais é a chave para a sua verdadeira democratização.”

Jamil Maluf, regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Piracicaba