Violinista Vadim Repim apresenta-se com orquestra turca

por Redação CONCERTO 16/06/2017

Em 1827, Giuseppe Donizetti – irmão do famoso compositor de óperas – foi convidado pelo sultão Otomano Mahmutt II a criar um conjunto sinfônico. Nascia assim a Orquestra Imperial Otomana, que ele comandou até 1856. Com a fundação da República da Turquia, em 1923, o grupo passou a se apresentar na capital Ankara e, em 1945, foi rebatizado como Orquestra Sinfônica de Istambul. Isso até 1972, quando se tornou Orquestra Sinfônica Estatal de Istambul – grupo que se apresenta este mês em São Paulo, nos dias 20 e 21, pela temporada do Mozarteum Brasileiro, sob regência do maestro croata Milan Turkovic.

O repertório das apresentações tem Telli Turna Suite, do compositor turco Nevit Kodalli, e as Sinfonias nº 7 e nº 8 de Dvorak. Mas o grande destaque é a presença do violinista russo Vadim Repim como solista. No dia 20, ele toca o Concerto de Sibelius; no dia 21, o de Max Bruch. Repim é um dos grandes virtuoses de nosso tempo, definido por Yehud Menuhin como “o melhor e mais perfeito violinista que eu já tive a oportunidade de ouvir”. Após vencer concursos como o Rainha Elisabeth e o BBC, registou gravações de referência de todo o grande repertório para violino e orquestra, além de ser aclamado intérprete de música de câmara.

[Veja mais no Roteiro Musical]