Banner 468x60
Banner 180x60
Bom dia.
Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


 

Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 
 

Votação encerrada


Ópera “Eugene Onegin”, de Tchaikovsky (Temporada 2015 do Theatro Municipal de São Paulo)
Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo; Coro Lírico
Jacques Delacôte, direção musical
Marco Gandini, direção cênica
Elenco: Andrei Bondarenko e Konstantin Shushakov (Onegin); Svetlana Aksenova e Talia Or (Tatyana); Fernando Portari e Medet Chotabaev (Lensky); Alisa Kolosova e Ana Lucia Benedetti (Olga); Vitalij Kowaljow e Saulo Javan (Gremin); Larissa Diadkova e Lidia Schäffer (Filipevna); Miguel Geraldi (Triquet); Alejandra Malvino e Keila de Moares (madame Larina); Sergio Righini (Zaretsky); Rogério Nunes (capitão); e Renato Tenreiro (capataz)
Theatro Municipal de São Paulo, dias 30 e 31 de maio, 2, 4, 6, 7 e 9 de junho
   
Número de votantes: 223
Média: 7,9
Conceito:
   
Comentários:  
Camilla Pessonia Excelente espetáculo.
   
julio roberto g.pinto Uma palavra pode definir minha impressão:Magnífico!Nível muito alto de solistas,coro e orquestra;todos brilharam ,mesmo em pequenos papéis.
   
Mathias F. Pedroso Foi uma apresentação muito boa! Além de bonita. Tudo funcionou bem.
   
Michele Turqueto Excelente elenco e excelente regência! A melhor do ano até agora, com certeza.
   
Luis Henrique Uma das melhores montagens doTMSP das últimas temporadas. Ótimos cantores, cenários corretos. A orquestra sem muitos erros... Há alguns problemas, sobretudo em relaçao aos figurinos, mas nada que ofenda muito ao público... Espero que continue assim... Melhor do que gastar muito em montagens completamente sem sentido....
   
Carla Assisti uma récita com o primeiro elenco. Todas as vozes estavam muito bem, timbres adequados, uma ótima Tatiana, contida no início conforme pede a personagem e exuberante nos momentos certos. Senti falta de mais potência na voz de Onegin em determinados momentos. Os quartetos e o cânone do duelo estavam impecáveis e a ária da carta me levou às lágrimas. Da orquestra, notei problemas nos metais num trecho pianísso da peça. Lamentei muito a mudança do cenógrafo - estava contando com o Hugo de Ana desde que a temporada foi divulgada.
   
julio roberto g.pinto Magnífico!!!!
   
Francisco Guimarães Montagem simples, quase intimista, cantores fabulosos. Vi na estréia, imperdível. Pena que não há mais bons lugares disponíveis, veria outra vez.
   
Alvaro Rodrigues Bueno Fernandes Bom espetáculo,com um único reparo para o figurino de alguns intérpretes,tais como as roupas que prejudicaram Fernando Portari e o próprio barítono que cantava Eugene.
   
Fabiano Fortes Bustamante Sim , toda crítica de uma forma ou de outra engrandece o trabalho do artista, porém nesse comentário não sobra espaço para ela, pois qualquer manifestação cultural nacional de qualidade merece adoração e agradecimento.Nao sou um crítico,apenas sigo, prezo,cultivo e dissemino a arte e a cultura. Parabéns a todos envolvidos nesse projeto!
   
J C Mandese Solistas perfeitos, coro lírico impecável orquestra com alguns deslizes. Na minha idade sinto falta de montagens mais elaboradas, mas para nossa realidade está bem. Parabéns pela temporada lírica. São Paulo merece.
   
Rosane Barbosa Excelente elenco na estreia, e, com minha reverência ao cantor Fernando Portari, que expressa a sua musicalidade, intocável e atinge a nossa sensibilidade de forma única.
   
Joana Pereira Moura Excelente cenografia, representação, etc.. Super recomendo.
   
Kaká No dia 04/06, Svetlana Aksenova, Alisa Kolosova, Andrei Bondarenko, Alejandra Malvino, Larissa Diadkova, Medet Chotabaev, o balé, o coral fizeram uma exímia apresentação. Nota 1.000 para o figurunista Lorenzo Merlino e o maestro Jacques Delacôte.
   
Hilda de Paula Na minha opinião, a melhor da temporada 2015, até agora. Tatyana perfeita e marcante. Lensky comovente, me levou às lágrimas. Achei apenas Eugueni um tanto contido, mas não comprometeu. Imperdivel.
   
Solange Arantes Foi sensacional! A melhor do ano até agora.
   
Carlos Frederico Assisti no dia 04.06. Solistas excelentes, com destaque para a Tatiana de Aksenova, com entrega total ao papel. Os cenários são simples, mas a direção e a iluminação foram impecáveis e ajudaram o drama a acontecer. O elenco foi bem escolhido: boas vozes, boas atuações e physique du rôle, que torna tudo mais verossímil. Parece que a temporada o TMSP agora engrenou!
   
Luiz Fernando Silva Maestro fantástico! Cantores excelentes, montagem linda, coro muito bem e orquestra incrível!!!! Espero que o maestro Jaques Delacôte volte mais vezes.
   
Angela Becker No final as luzes vinham direto en direção do meu rosto que estava no foyer.
   
Felipe Carlos Toniati Rivolta Com solistas de alto nível e ao mesmo tempo simplicidade e sofisticação no cenário, essa produção conseguiu direcionar a atenção do publico para a musica de Tchaikovsky e a intimidade de cada personagem.
   
Samuel Santos Vi a apresentação do dia 06, que foi perfeita. Conheci novas e belas vozes, com destaque para a do barítono ucraniano Andrei Bondarenko (Eugene).
   
Rodrigo Camargo Fui na estreia, e foi maravilhoso!
   
Isabela Arantes Lindo!!!! Maravilhoso!!!!!
   
claudia teixeira Belas vozes com otimas interpretações. A orquestra esteve muito bem, assim como o coro e o corpo de baile. Belos cenários. Assisti no domingo, dia 07.
   
Juliana Silveira Leonardo de Souza Finalmente o TMSP se redimiu em grande estilo do fracasso de Otello!Os cantores de 07.06 estavam todos perfeitos (os breves também tiveram sua glória, com Gremin e o encantador Triquet, excelentemente caracterizado como uma espécie de Cauby Peixoto, muito aplaudidos!), a direção cênica foi cativante (ponto extra para o detalhe em que, no começo, saídas do bosque, Olga abraça sua mãe, mas Tatiana não, exato como é descrito no livro, prova de bom estudo preparatório!). Com exceção do plástico espelhado, a cenografia estava poética como o texto, não consegui encontrar uma justificativa para ele, não acrescentou à cena da carta, que é centrada na aflição interior de Tatiana. a coreografia à la Pederneiras/Grupo Corpo, porém, foi inadequada, não era necessário para dar qualquer ar de atualidade à montagem. O vestido de Tatiana no seu baile com Gremin, de Kandinski, o quadro que retrata exatamente o som, foi uma bonita homenagem à Rússia. Estão de parabéns e esperamos que as demais sigam, no mínimo, com este nível!
   
Andre Miranda Assisti a recita de 06/06 com um magistral baritono jovem com bela presença cenica, um Oniegin perfeito.Cenarios e figurinos deixaram a desejar. excelentes vozes brasileiras principalmente da mãe e da ama nada deixaram a desejar ao elenco internacional. A Tatiana da jovem israelense ficou um ponto abaixo, principalmente no dueto final. Orquestra e coro brilhantes. Montagem simples e eficiente com interpretes que sobrepujaram as falhas da cenografia e dos figurinos(muito fracos) bela iluminação. Nota 9 no geral. Theatro Municipal de SP de parabens. Fui do Rio para assistir a opera, que vergonha senti do nosso teatro
   
Guido Delamari Machado A Ópera é sempre um espetáculo, gostei da apresentação e também do cenário.
   
Rosana de Oliveira Diman Lindo demais!Amei!
   
Felipe Assisti a récita com o elenco principal e os cantores estiverem estupendos, principalmente a soprano Svetlana Aksenova. A orquestra segurou bem e foi conduzida com segurança por Delacôte. No entanto, na parte final o espetáculo caiu bastante. A participação do corpo de baile foi muito ruim e só serviu para exceder em quantidade excessiva de pessoas no palco. A coreografia e o figurino do ballet destoavam negativamente, influindo no fluxo do espetáculo, bem como a própria cenografia que abusou da simplicidade.
   
Patricia Cenário lindo, figurino maravilhoso e performance excelente.Parabéns ao Theatro Municipal de SP por trazer-nos uma ópera tão bela.
   
Paulo Augusto Ogura Musicalmente o espetáculo foi maravilhoso ! Dois elencos maravilhosos, (30 e 31 de maio) Maestro Jacques Delacôte regeu decor! Quanto a cenografia, figurino e coreografia infelizmente ficou muito além do que se desejava ver!
   
Douglas Eduardo Braga Ontem, enfim, fui assistir Eugene Onegin eencantei-me com a história, a personagem de Tatiana, a música e os cantores - todos, sem exceção, de uma excelência indiscutível. Impossível não se envolver nem se sensibilizar com um caso não tão comum de ópera na qual a música encaixa-se como luva ao texto e tudo isso feito de uma forma em que o público sentiu-se cúmplice da ação que ocorria no palco, com cujo desfecho restará a saudades e a lembrança de um evento tão feliz, tão bem sucedido e de característica tão refinada e distinta da maioria dos espetáculos que comumente acontecem no nosso TMSP.
   
   

voto           voto



< Mês Anterior Novembro 2017 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2
 

 
São Paulo:

23/11/2017 - Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo

Rio de Janeiro:
23/11/2017 - IX Concurso Jovens Músicos

Outras Cidades:
24/11/2017 - Curitiba, PR - Coro da Camerata Antiqua de Curitiba
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2017 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046