Banner 468x60
Banner 180x60
Boa tarde.
Terça-Feira, 17 de Outubro de 2017.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


 

Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 
 

Votação encerrada


Ópera “Lucia di Lammermoor”, de Gaetano Donizetti (Fundação Clóvis Salgado, Belo Horizonte)
Orquestra Sinfônica de Minas Gerais
Coral Lírico de Minas Gerais
Silvio Viegas, direção musical
André Heller-Lopes, direção cênica
Elenco: Jaquelina Livieri (Lucia), Eric Herrero (Edgardo), Leonardo Neiva (Enrico Ashton), Mauro Chantal (Raimondo), Santiago Ballerini (Arturo), Aline Lobão (Alisa) e Mateus Pompeu (Normanno)
Palácio das Artes, BH (dias 10, 16, 18, 20 e 22)
   
Número de votantes: 88
Média: 7,0
Conceito:
   
Comentários:  
Fernando Augusto Concepção ousada e criativa. Orquestra perfeita e magistralmente conduzida. Solistas muito bons, especialmente o Leonardo, o Herrero e a inacreditável Jaquelina Livieri!!
   
Daniel Thramm Os músicos foram ótimos. Orquestra, coral, solistas, todos. Mas o cenário, o figurino e algumas cenas deixaram a desejar.
   
Marcos Vera Esperava mais. Concepção incoerente com o enredo.
   
Camilo Silva a concepção da obra foi equivocada
   
Alexandre Kanji Maravilhoso!
   
Adriana Costa Lira Espetáculo lindo!Inovador e apaixonante!
   
Carlos Buzzelin Algumas cenas foram bem estranhas, como aquela em que o irmão da Lucia canta sentado "em cima dela", sugerindo algo incestuoso. Também não gostei do padre ficar roçando na moça e nem entendi a do fusca vermelho entrando no palco. O figurino do Coro era uma coleção de figurinos de óperas passadas (contenção de gastos ou falta de recursos?). Embora tentem justificar dizendo tratar-se de montagem contemporânea, para quem vai sempre ao Palácio das Artes, fica fácil de reconhecer os acessórios de cabeça da Tudandot em duas cantoras do coro e as máscaras do Baile de Máscaras em muita gente do coro. Péssimo gosto desse diretor.... A única coisa que salva é a fabulosa Livieri no papel de Lucia.
   
CLEONICE AMORIM DE PAULA "O diretor gostaria de ter na plateia inclusive “o pessoal que fica no Face, Twitter e WhatsApp”".(Hoje em Dia, 10/11/15).Consegue resultar em uma postagem confusa daquelas, que parecem legais mas há algo mais interessante e menos confuso para prestar atenção. "A ópera do amor louco" consegue se tornar a ópera do amor confuso. Dificilmente você vai se lembrar de Edgardo como o um homem premido entre a vingança de família e o amor; ou Lucia como a jovem crédula, inocente que enlouquece em meio a pressões da honra, do amor, e artimanhas do irmão que a usa para manter poder e dinheiro. Vai se lembrar de coisas que não estão no libreto: Edgardo torturado; um padre (Raimondo) ajudando a torturá-lo e a fazer com que Edgardo suicide; Lucia indo para um hospício depois do suicídio do amado (nada de "Aria da loucura" com loucura convincente). Se a loucura de Lucia tinha a ver com as pressões sofridas por sua condição de mulher; se os interesses políticos estão acima de valores; se a sociedade é hipócrita, dissoluta; se "pessoas que tinham sonhos, que acreditavam num mundo novo e foram trituradas por uma sociedade apodrecida.” como disse Heller ao jornal Hoje em Dia de 10/11/2015, isso não está lá, por mais que queiram dizer que está. Não será uma das memoráveis encenadas no Palácio das Artes.
   
Susana Beatez Ajo Excelente puesta y grandes artistas líricos. Principalmente Jaquelina Livieri
   
Edirceu José Rodrigues Adorei a concepção com leitura muito contemporânea, cenário, iluminação e figurinos lindos! A OSMG como sempre impecável e o Coral lírico maravilhoso!O elenco de primeira, ÓTIMOS!
   
Ernesto vacarezza Bela tragédia com dramatismo romântico agregado pela regia de atores.
   
Jorge Elias Santana Foi a ópera que mais gostei aqui em BH. Uma cantora linda e como canta gente. E que espetáculo jóia e moderno, eu me senti na Europa. Se tivesse visto antes tinha voltado e trazido os amigos! Jorge Elias Santana
   
fernando santos tudo muito lindo, soprano incrível, orquestra coesa e afinada, solistas de primeira linha com um regente entusiasmado.
   
Paulo Meirelles Concepção incoerente com o enredo. Não gostei dos figurinos , aliás já vi algumas coisas em outras montagens . O que salvou foi a soprano Livieri , simplesmente maravilhosa a orquestra , o maestro e a participação do coro
   
Fernando Marques Fui conferir o espetáculo que todo mundo estava falando e gostei muito. Nunca tinha entendido a historia toda e achava a ópera meio chata. Eram otimo cantores e me senti vendo uma novela ou um filme. Meus amigos que nunca tinham ido a ópera tambem acharam jóia.Adoramos.
   
Wellington Ferreira Maravilhoso e moderno.
   
Mateus Schwetter Espetáculo fascinante.
   
Mateus Schwetter Espetáculo fascinante. Jaquelina Livieri é incrível, uma das sopranos com timbre mais bonito que já ouvi.
   
Dea Fonseca Produção linda do Palácio das Artes. Coral fantástico. Solista estraordinários. O espetáculo é maravilhoso. Só elogios!!!
   
   

voto           voto



< Mês Anterior Outubro 2017 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
 

 
São Paulo:

21/10/2017 - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e Coro da Osesp

Rio de Janeiro:
30/10/2017 - Orquestra Nacional do Capitólio de Toulouse

Outras Cidades:
28/10/2017 - Araras, SP - Ópera La Traviata, de Verdi
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2017 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046