Banner 180x60
Bom dia.
Segunda-Feira, 11 de Dezembro de 2017.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


 

 

Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 

 
 
 
Dois amores (18/5/2015)
Por Jorge Coli

Estive ontem, domingo, no Theatro São Pedro para assistir a segunda e última apresentação da chilena Cristina Gallardo-Domâs. É cantora de carreira internacional, com belo timbre, voz poderosa. Sua interpretação dos Cantos de um companheiro errante (Lieder eines fahrenden Gesellen), de Mahler, apertava o coração, de tão comovente. O canto se fundia, tão suave, com a orquestra, emanando do tecido que urdiam os instrumentos.


A soprano chilena Cristina Gallardo-Domâs, que atuou como solista no Theatro São Pedro [foto: divulgação]

Foi, para mim, uma coincidência a outra obra que ela interpretou, bem diferente da primeira: El amor brujo, de Manuel de Falla. Coincidência, porque eu a tinha ouvido também no sábado, dia 9, em Piracicaba. A solista era então Luciana Bueno.

Não comento os concertos da Orquestra de Piracicaba, que se renovou belamente, porque fui associado a esse projeto, como conferencista. Tal situação pode trair um parti pris favorável, está claro. Mas estou sinceramente convencido de que essa orquestra nasceu sob ótima estrela. O responsável por sua nova fase é o maestro Jamil Maluf. El amor brujo, assim como o resto do programa, foi regido por Thiago Tavares, maestro convidado.

O pouco tempo que separou minha escuta das duas obras ao vivo, em Piracicaba e em São Paulo, permitiu a comparação, e o prazer de constatar o alto nível de ambas, tanto no que se refere à orquestra quanto às duas ótimas solistas. Mais endiabrada e temperamental a primeira, mais soturna e malévola a segunda.

O concerto do Theatro São Pedro trouxe uma outra surpresa, pelo menos para mim. Quem regeu a orquestra foi o jovem maestro Henrique Villas-Boas, que ouvi pela primeira vez.

Uma revelação. Finura, precisão, transparência, brotando desde a Rêverie, de Scriabin, que abria o programa. Maravilhoso fraseado – sua biografia diz ele é também cantor, e é bem possível que essa prática tenha incidido sobre o sentido flexuoso da frase. E grande prazer ouvir a alta categoria da orquestra do São Pedro. Que cordas sedosas!

Clássicos Editorial Ltda. © 2015 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.





Jorge Coli - é professor de História da Arte e da Cultura na Unicamp e colunista da Revista CONCERTO.

Mais Textos

A goleada da Argentina (e nem precisaram do Messi) Por Nelson Rubens Kunze (8/12/2017)
Uma grande e despretensiosa sátira Por João Luiz Sampaio (8/12/2017)
Museu virtual reúne milhares de instrumentos de coleções britânicas Por Camila Frésca (4/12/2017)
Karnal, a Osesp e o governador Por Nelson Rubens Kunze (24/11/2017)
Quem não trafega nas redes sociais se trumbica Por João Marcos Coelho (24/11/2017)
Budu e Hilsdorf: nasce um duo Por Irineu Franco Perpetuo (14/11/2017)
Três óperas Por Jorge Coli (7/11/2017)
Convocação de OSs para Emesp, Guri e Conservatório de Tatuí reforça torniquete financeiro do governo Por Nelson Rubens Kunze (3/11/2017)
Para onde nos levará a onda de censura no país? Por João Marcos Coelho (31/10/2017)
Os quartetos de cordas e a reavaliação da obra de Villa-Lobos Por Camila Frésca (30/10/2017)
O Brahms profundo e espontâneo de Nelson Freire Por Irineu Franco Perpetuo (25/10/2017)
Primeiras impressões sobre a temporada da Osesp Por João Marcos Coelho (29/9/2017)
“Tosca” tem montagem competente no Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (28/9/2017)
Refinamento e inventividade em “Brazilian Landscapes” Por Camila Frésca (28/9/2017)
Um “Nabucco” problemático no Theatro Municipal de São Paulo Por João Luiz Sampaio (26/9/2017)
Na estreia com a Osesp, Leonardo Hilsdorf encanta a Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (22/9/2017)
Festival de Ópera do Theatro da Paz faz bom “Don Giovanni” Por Nelson Rubens Kunze (19/9/2017)
Penderecki e Szymanowski: uma noite musical maior Por Jorge Coli (18/9/2017)
Novo fôlego para a ópera no RS Por Everton Cardoso (8/9/2017)
Wagner de boa qualidade, mas sem lirismo e vigor dramático Por Jorge Coli (4/9/2017)
Finalmente Dudamel “suja” mãos e batuta com a “política” Por João Marcos Coelho (24/8/2017)
Dobradinha “Pulcinella & Arlecchino” tem boa realização no Theatro São Pedro Por Nelson Rubens Kunze (23/8/2017)
O bel canto colorido e expressivo de Javier Camarena Por Irineu Franco Perpetuo (10/8/2017)
Osesp faz belo concerto com programa raro Por Jorge Coli (9/8/2017)
Terceira edição do Festival Vermelhos consolida projeto cultural em Ilhabela Por Camila Frésca (8/8/2017)
Em busca da música Por João Marcos Coelho (28/7/2017)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Dezembro 2017 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 1 2 3 4 5 6
 

 
São Paulo:

15/12/2017 - Ópera Falstaff, de Verdi

Rio de Janeiro:
14/12/2017 - Orquestra Sinfônica da UFRJ e Coral Brasil Ensemble - UFRJ

Outras Cidades:
15/12/2017 - Belo Horizonte, MG - Orquestra Filarmônica de Minas Gerais
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2017 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046