Banner 180x60
Bom dia.
Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


 

Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 
 
 
Boas orquestras fora do eixo Rio-São Paulo (27/10/2008)
Por Irineu Franco Perpetuo

Tantas iniciativas bacanas já deram para trás no cenário da música brasileira de concerto que a gente sempre fica ressabiado na hora de fazer uma afirmação otimista. Porém, com todas as ressalvas de praxe, não parece exagero dizer que, ao que tudo indica, uma importante subida de nível das orquestras está ocorrendo fora do eixo Rio-São Paulo.

O caso mais antigo, e sintomático, é o da Amazonas Filarmônica, de Manaus, que foi criada no final dos anos 90 - por pura coincidência, na mesma época em que começou o processo de renovação da Osesp. Nesta década de atividades, houve, é claro, oscilações de qualidade, mas, especialmente devido à sua associação com o Festival Amazonas de Ópera, a orquestra parece hoje consolidada como uma das mais importantes do Brasil.

Mais recentemente, Ira Levin, depois de sacudir o Teatro Municipal de São Paulo, tomou as rédeas da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, em Brasília, programando temporadas ambiciosas, com programas diversificados e solistas de peso. Qual era o nível da orquestra antes desses dois anos de trabalho do Ira por lá eu não tenho como avaliar, por não tê-la ouvido tocar. Mas, mês passado, eu estive entre a meia-dúzia de gatos pingados que, em uma noite de sábado, se deslocou à Sala São Paulo para ouvir a orquestra. E fiquei impressionado. Bem impressionado. A sinfônica de Brasília mostrou uma sonoridade robusta e com personalidade, equilíbrio entre os naipes, alto nível técnico... A apresentação merecia um público melhor.

O termo de comparação que me falta para avaliar Brasília sobra-me, contudo, para falar do trabalho que vem sendo feito em Minas Gerais. Porque sempre me lembrei daquela orquestra pela desafinação, pela sonoridade opaca, pelos desencontros... Quando ouvi dizer que a Lúcia Camargo tinha ido para lá renovar a orquestra, e chamado o Fábio Mechetti para regente, confesso que já me animei, mas ainda não sabia o que esperar do resultado final até ouvir, em junho, a ópera Pelléas et Mélisande, de Debussy, sob a batuta de Abel Rocha. Era outra orquestra, refinada e musical, para apagar de vez as péssimas lembranças do passado!

Com Mechetti, infelizmente, ainda não tive a chance de ouvi-los; contudo, na semana passada, voltei à capital mineira para uma produção de Aida, de Verdi. A cenografia era até interessante, mas o elenco, para ser franco, esteve longe de me agradar (com exceção do baixo Luiz Ottavio Faria e da soprano Elizeth Gomes). Legal mesmo foi ver que a Filarmônica de Minas Gerais (desta vez, dirigida por Roberto Duarte) continuava tocando bem. A torcida, agora, é não apenas para que estes exemplos contagiem outras cidades brasileiras, mas também para que a recessão global que se anuncia não implique em cortes de gastos que façam estas iniciativas tão relevantes naufragar.





Irineu Franco Perpetuo - é jornalista, colaborador do jornal Folha de S. Paulo e correspondente no Brasil da revista Ópera Actual (Barcelona).

Mais Textos

Primeiras impressões sobre a temporada da Osesp Por João Marcos Coelho (29/9/2017)
“Tosca” tem montagem competente no Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (28/9/2017)
Refinamento e inventividade em “Brazilian Landscapes” Por Camila Frésca (28/9/2017)
Um “Nabucco” problemático no Theatro Municipal de São Paulo Por João Luiz Sampaio (26/9/2017)
Na estreia com a Osesp, Leonardo Hilsdorf encanta a Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (22/9/2017)
Festival de Ópera do Theatro da Paz faz bom “Don Giovanni” Por Nelson Rubens Kunze (19/9/2017)
Penderecki e Szymanowski: uma noite musical maior Por Jorge Coli (18/9/2017)
Novo fôlego para a ópera no RS Por Everton Cardoso (8/9/2017)
Wagner de boa qualidade, mas sem lirismo e vigor dramático Por Jorge Coli (4/9/2017)
Finalmente Dudamel “suja” mãos e batuta com a “política” Por João Marcos Coelho (24/8/2017)
Dobradinha “Pulcinella & Arlecchino” tem boa realização no Theatro São Pedro Por Nelson Rubens Kunze (23/8/2017)
O bel canto colorido e expressivo de Javier Camarena Por Irineu Franco Perpetuo (10/8/2017)
Osesp faz belo concerto com programa raro Por Jorge Coli (9/8/2017)
Terceira edição do Festival Vermelhos consolida projeto cultural em Ilhabela Por Camila Frésca (8/8/2017)
Em busca da música Por João Marcos Coelho (28/7/2017)
Neojiba: o exemplo da Bahia para o Brasil Por Irineu Franco Perpetuo (24/7/2017)
Você conhece José Vieira Brandão? Por João Marcos Coelho (12/7/2017)
Campos do Jordão, Salzburg e a economia da cultura Por Nelson Rubens Kunze (12/7/2017)
Rameau em “dreadlocks” Por Jorge Coli (11/7/2017)
Isabelle Faust, Vadim Repin e Julian Rachlin: sobre expectativas, decepções e boas surpresas Por Camila Frésca (5/7/2017)
Encomenda da Osesp mostra Mehmari maduro Por Irineu Franco Perpetuo (3/7/2017)
Fórum apresenta importantes orientações para “endowments” culturais no Brasil Por Nelson Rubens Kunze (10/6/2017)
Filme “Filhos de Bach” marca por sua sensibilidade e delicadeza Por Nelson Rubens Kunze (9/6/2017)
Transformação social e o futuro da música clássica Por Anahi Ravagnani e Leonardo Martinelli (30/5/2017)
Os extras contemporâneos de Isabelle Faust na Sala São Paulo Por João Marcos Coelho (25/5/2017)
Festival Amazonas de Ópera encena ‘Tannhäuser’ e comemora 20ª edição Por Nelson Rubens Kunze (23/5/2017)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Outubro 2017 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
 

 
São Paulo:

28/10/2017 - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Rio de Janeiro:
23/10/2017 - XXII Bienal de Música Brasileira Contemporânea

Outras Cidades:
23/10/2017 - Curitiba, PR - III Festival de Ópera do Paraná
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2017 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046