Banner 468x60
Banner 180x60
Bom dia.
Quarta-Feira, 17 de Janeiro de 2018.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 
 
 
“L’amico Fritz”, no Theatro São Pedro (25/2/2016)
Por Jorge Coli

São tantos os prazeres trazidos pela música, tantos. Nem sempre os mesmos. Neste domingo que passou, o Teatro São Pedro encenou L’amico Fritz, de Mascagni, nas Tardes de Ópera. A obra é apresentada com alguns cortes, acompanhamento de piano, e os cantores evoluem no proscênio, com a cortina baixada. Alguns cubos simbolizam os acessórios do cenário.

Coisa simples, com cantores jovens. No final, porém, não havia quem não saísse comovido. Primeiro, pela música admirável, tão injustamente esquecida. O piano de Flávio Lago foi, por sinal, propício para revelar as delicadezas, as nuanças e sofisticações de uma partitura de fato requintada. As versões pianísticas das óperas sempre trazem enfoques e prazeres específicos.


Cena de L’amico Fritz, de Mascagni, apresentada nas Tardes de Ópera do Theatro São Pedro [foto: divulgação]

Depois, pela qualidade dos intérpretes, tão jovens. Camila Titinger confirmou a beleza dessa voz dourada, calorosa, e sem escolhos; Mar Oliveira sua capacidade em emitir os mais suaves pianíssimos numa concepção altamente musical. É um prazer vê-los progredir, afirmarem-se mais e mais. Belo elenco de apoio, e uma bela participação de Ariel Sanches no solo do violino cigano, tocada com finura e elegância. A direção de cena foi de Paulo Esper, simples e eficaz.

Muitas vezes, uma tarde assim lava mais a alma do que montagens pretensiosas, pesadas, com cantores prestigiosos. Inda mais para L’amico Fritz, em que a juventude dos intérpretes é tão essencial.

Outro ponto. O Theatro São Pedro tem investido seriamente na formação de jovens cantores. Dispõe agora de uma verdadeira companhia, capaz de assumir papéis diversos. Apesar de o dinheiro ser curto, talvez ele pudesse escolher alguns títulos e dá-los com orquestra, em versões semicênicas. Em todo caso, essas tardes de ópera, gratuitas, já estão formando cantores e público.

Ouça aqui o dueto das cerejas, de L’amico Fritz, por Camila Titinger e Mar Oliveira, piano de Flávio Lago, tal como foi interpretado no domingo passado.

[Em favor da transparência, o Site CONCERTO informa que Jorge Coli participará de um dos espetáculo das Tardes de Ópera, do Theatro São Pedro]

Clássicos Editorial Ltda. © 2016 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.





Jorge Coli - é professor de História da Arte e da Cultura na Unicamp e colunista da Revista CONCERTO.

Mais Textos

A produção é boa, mas faltou mágica na “Flauta” do Municipal Por Nelson Rubens Kunze (23/12/2017)
Relativizações, realidades e transformações: um olhar sobre “A flauta mágica” do Theatro Municipal Por João Luiz Sampaio (23/12/2017)
O prazer de ouvir Neymar Dias – muito bachiano e muito brasileiro Por Irineu Franco Perpetuo (20/12/2017)
Uma temporada inclusiva, feita com inteligência Por João Marcos Coelho (19/12/2017)
Uma grande e despretensiosa sátira Por João Luiz Sampaio (8/12/2017)
A goleada da Argentina (e nem precisaram do Messi) Por Nelson Rubens Kunze (8/12/2017)
Museu virtual reúne milhares de instrumentos de coleções britânicas Por Camila Frésca (4/12/2017)
Karnal, a Osesp e o governador Por Nelson Rubens Kunze (24/11/2017)
Quem não trafega nas redes sociais se trumbica Por João Marcos Coelho (24/11/2017)
Budu e Hilsdorf: nasce um duo Por Irineu Franco Perpetuo (14/11/2017)
Três óperas Por Jorge Coli (7/11/2017)
Convocação de OSs para Emesp, Guri e Conservatório de Tatuí reforça torniquete financeiro do governo Por Nelson Rubens Kunze (3/11/2017)
Para onde nos levará a onda de censura no país? Por João Marcos Coelho (31/10/2017)
Os quartetos de cordas e a reavaliação da obra de Villa-Lobos Por Camila Frésca (30/10/2017)
O Brahms profundo e espontâneo de Nelson Freire Por Irineu Franco Perpetuo (25/10/2017)
Primeiras impressões sobre a temporada da Osesp Por João Marcos Coelho (29/9/2017)
“Tosca” tem montagem competente no Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (28/9/2017)
Refinamento e inventividade em “Brazilian Landscapes” Por Camila Frésca (28/9/2017)
Um “Nabucco” problemático no Theatro Municipal de São Paulo Por João Luiz Sampaio (26/9/2017)
Na estreia com a Osesp, Leonardo Hilsdorf encanta a Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (22/9/2017)
Festival de Ópera do Theatro da Paz faz bom “Don Giovanni” Por Nelson Rubens Kunze (19/9/2017)
Penderecki e Szymanowski: uma noite musical maior Por Jorge Coli (18/9/2017)
Novo fôlego para a ópera no RS Por Everton Cardoso (8/9/2017)
Wagner de boa qualidade, mas sem lirismo e vigor dramático Por Jorge Coli (4/9/2017)
Finalmente Dudamel “suja” mãos e batuta com a “política” Por João Marcos Coelho (24/8/2017)
Dobradinha “Pulcinella & Arlecchino” tem boa realização no Theatro São Pedro Por Nelson Rubens Kunze (23/8/2017)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Janeiro 2018 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3
 

 
São Paulo:

17/1/2018 - Espetáculo O compositor delirante

Rio de Janeiro:
17/1/2018 - Duo Roberto Taufic - violão e Gabriele Mirabassi - saxofone

Outras Cidades:
27/1/2018 - Ilhabela, SP - Balés O lago dos cines, de Tchaikovsky e Melhor único dia (estreia), de Henrique Rodovalho
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2018 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046