Banner 180x60
Boa noite.
Sábado, 18 de Novembro de 2017.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


 

Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 
 
 
O brilho da Osesp nas mãos de Nathalie Stutzmann (26/9/2016)
Por Camila Frésca

Na noite de sábado, dia 22, a Osesp apresentou o segundo programa ao lado de Nathalie Stutzmann, que a partir dessa temporada, e pelos próximos três anos, será artista associada da casa. Nesta primeira visita, ela atua somente como regente, à frente de dois programas sinfônicos.

Na semana passada, Nathalie já havia subido ao palco para reger a Quarta sinfonia de Schubert e a Grande missa K.427 de Mozart. Foram excelentes interpretações, com destaque para as fantásticas sopranos que solaram na Missa – Ekateryna Siurina e Emöke Barath. As obras, grandiosas, despertaram palmas entusiasmadas do público.


Nathalie Stutzmann [Divulgação / Simon Fowler]

Ontem, foram três obras de menor porte, e ficou ainda mais evidente o trabalho que ela está desenvolvendo com a orquestra. A Osesp tocou maravilhosamente bem, desde os primeiros compassos da abertura da ópera O Rei de Ys, de Eduard Lalo – peça pouco executava por aqui e que, como Nathalie já havia adiantado em entrevista para a Revista CONCERTO [clique aqui para ler (apenas para assinantes)] mostra bem a proximidade do autor com a tradição germânica, especialmente Wagner. Estava preparado o clima para a segunda peça na noite, o popular Concerto para piano de Schumann. Além da qualidade da orquestra conduzida por Stutzmann, o público ficou eletrizado pelos solos da pianista Khatia Buniatishvili, que além de precisão e domínio técnico demonstrou toda uma gama de timbres e de riqueza interpretativa. Ovacionada pelo público, depois de encarar a meia hora de duração da obra, Buniatishili ainda deu um bis de fôlego: a Rapsódia húngara nº 2 de Liszt. (Foi na verdade um aperitivo para o recital que a artista fez no domingo, às 16h, e que teve ainda peças de Chopin, Ravel e Stravinsky.)

Era pra ter sido o clímax da noite e seguir-se, na segunda parte, um final leve e morno com a Sinfonia nº 1 de Bizet. Mas a obra, nas mãos de Stutzmann, foi muito além disso. Com extrema inteligência musical, ela acentuou o caráter clássico do primeiro movimento e o lirismo profundo do segundo, além de revelar os ecos operísticos do autor de Carmen nos movimentos finais da sinfonia.

Nathalie Stutzmann é conhecida internacionalmente, e também no Brasil, por seus excepcionais dotes como contralto. Talvez algum assinante da Osesp tenha se sentido frustrado quando percebeu que, nessa sua primeira visita, os dois programas apresentariam exclusivamente sua faceta de regente. Mas duvido que alguém tenha saído desapontado desses concertos. Pelo contrário, saiu surpreso e satisfeito ao reconhecer uma regente madura e completa, que extrai o melhor da orquestra e que, com sua inteligência e preparo, sabe dar aos músicos o caminho daquilo que não está escrito na partitura, mas que constitui a essência da obra.

Ao final do concerto, na sábado, todos pareciam extremamente satisfeitos: público, regente e até mesmo os músicos – algo, convenhamos, nem sempre fácil de acontecer.





Camila Frésca - é jornalista e doutoranda em musicologia pela ECA-USP. É autora do livro "Uma extraordinária revelação de arte: Flausino Vale e o violino brasileiro" (Annablume, 2010).

Mais Textos

Budu e Hilsdorf: nasce um duo Por Irineu Franco Perpetuo (14/11/2017)
Três óperas Por Jorge Coli (7/11/2017)
Convocação de OSs para Emesp, Guri e Conservatório de Tatuí reforça torniquete financeiro do governo Por Nelson Rubens Kunze (3/11/2017)
Para onde nos levará a onda de censura no país? Por João Marcos Coelho (31/10/2017)
Os quartetos de cordas e a reavaliação da obra de Villa-Lobos Por Camila Frésca (30/10/2017)
O Brahms profundo e espontâneo de Nelson Freire Por Irineu Franco Perpetuo (25/10/2017)
Primeiras impressões sobre a temporada da Osesp Por João Marcos Coelho (29/9/2017)
“Tosca” tem montagem competente no Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (28/9/2017)
Refinamento e inventividade em “Brazilian Landscapes” Por Camila Frésca (28/9/2017)
Um “Nabucco” problemático no Theatro Municipal de São Paulo Por João Luiz Sampaio (26/9/2017)
Na estreia com a Osesp, Leonardo Hilsdorf encanta a Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (22/9/2017)
Festival de Ópera do Theatro da Paz faz bom “Don Giovanni” Por Nelson Rubens Kunze (19/9/2017)
Penderecki e Szymanowski: uma noite musical maior Por Jorge Coli (18/9/2017)
Novo fôlego para a ópera no RS Por Everton Cardoso (8/9/2017)
Wagner de boa qualidade, mas sem lirismo e vigor dramático Por Jorge Coli (4/9/2017)
Finalmente Dudamel “suja” mãos e batuta com a “política” Por João Marcos Coelho (24/8/2017)
Dobradinha “Pulcinella & Arlecchino” tem boa realização no Theatro São Pedro Por Nelson Rubens Kunze (23/8/2017)
O bel canto colorido e expressivo de Javier Camarena Por Irineu Franco Perpetuo (10/8/2017)
Osesp faz belo concerto com programa raro Por Jorge Coli (9/8/2017)
Terceira edição do Festival Vermelhos consolida projeto cultural em Ilhabela Por Camila Frésca (8/8/2017)
Em busca da música Por João Marcos Coelho (28/7/2017)
Neojiba: o exemplo da Bahia para o Brasil Por Irineu Franco Perpetuo (24/7/2017)
Você conhece José Vieira Brandão? Por João Marcos Coelho (12/7/2017)
Campos do Jordão, Salzburg e a economia da cultura Por Nelson Rubens Kunze (12/7/2017)
Rameau em “dreadlocks” Por Jorge Coli (11/7/2017)
Isabelle Faust, Vadim Repin e Julian Rachlin: sobre expectativas, decepções e boas surpresas Por Camila Frésca (5/7/2017)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Novembro 2017 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2
 

 
São Paulo:

20/11/2017 - Orquestra Acadêmica de São Paulo e Coral da Cidade de São Paulo

Rio de Janeiro:
23/11/2017 - Clea Galhano - flauta doce e Rosana Lanzelotte - órgão e cravo

Outras Cidades:
24/11/2017 - Curitiba, PR - Coro da Camerata Antiqua de Curitiba
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2017 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046