Banner 468x60
Banner 180x60
Boa noite.
Sábado, 23 de Junho de 2018.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 

 
 
 
“Sexta” de Mahler coroa trabalho artístico do Instituto Baccarelli (5/3/2018)
Por Nelson Rubens Kunze

O que uma casinha à margem de um lago bucólico do interior da Áustria tem a ver com uma das maiores favelas da cidade de São Paulo? A casinha à margem do lago é onde Gustav Mahler passava as suas temporadas de verão, no início do século XX. Ali, entre 1903 e 1904, o compositor criou a sua Sinfonia nº 6. Já a favela de São Paulo é a comunidade de Heliópolis, que há mais de 20 anos abriga o Instituto Baccarelli, uma entidade voltada para a promoção social por meio do ensino e difusão da música clássica.

Pelo menos desde o sucesso da Orquestra Jovem Simon Bolívar do projeto social venezuelano El Sistema caiu por terra aquela ideia de que as grandes sinfonias românticas não seriam adequadas para o trabalho com orquestras jovens (confesso que eu mesmo era adepto dessa crença – e ela tem mesmo algo de verdadeiro, já que as obras clássicas, por sua estrutura e transparência, parecem mesmo mais apropriadas para estudo de afinação, articulação, dinâmica e equilíbrio sinfônicos). Pois no último domingo (dia 4 de março), no Theatro Municipal de São Paulo, as orquestras do Instituto Baccarelli demonstraram que, também por aqui, aquele velho postulado já não se aplica mais: foi muito boa a interpretação da Sinfonia nº 6 de Gustav Mahler comandada por seu regente titular Isaac Karabtchevsky.

Para dar conta do grande efetivo orquestral – 115 músicos! – o Instituto Baccarelli agregou à Sinfônica Heliópolis a sua Orquestra Juvenil. Claro que um importante fator do sucesso é o trabalho do maestro Karabtchevsky, decano brilhante da regência nacional, que tem forte identificação com o repertório mahleriano. Mas não é só isso – essa Sexta alcançou um grau de maturidade das orquestras de Heliópolis até então inédito. E o Theatro Municipal, lotado, envolveu-se na trama musical e acompanhou concentrado, durante uma hora e meia, a interpretação da exigente obra (sem palmas entre os movimentos!).

Orquestra do Instituto Baccarelli sob direção de Karabtchevsky, no Theatro Municipal (foto: Revista CONCERTO)

A Sexta de Mahler é a sinfonia trágica. O primeiro movimento já ataca com golpes ritmados que prenunciam ameaças e perigos. Mesmo o segundo tema, uma melodia ascendente nas cordas de caráter mais lírico, tem gosto estranho. E essa batalha existencial permeia toda a obra – com apenas um movimento de um pouco de repouso, o Andante – para finalmente sucumbir nos famosos golpes de martelo do último movimento, os golpes de um destino trágico e inevitável. Esse movimento final, com mais de meia hora de duração, é um dos mais longos de toda a história da música.

São inúmeros os desafios da sinfonia. Há solos exigentes e complexas e longas passagens, com grandes desafios para a manutenção de um discurso sonoro orgânico. Com sopros e percussão competentes e cordas coesas – e grande energia e concentração dos músicos –, Karabtchevsky soube explorar bem as potencialidades do grupo, com andamentos, articulações e dinâmicas cuidadosas, atingindo um resultado muito satisfatório. A Sinfônica Heliópolis alcançou o seu melhor desempenho em um concerto realmente emocionante.

Voltando à pergunta do início, o que o lago Wörthersee tem a ver com Heliópolis? A julgar pelo que se ouviu no concerto do Theatro Municipal, tudo! Os mistérios da existência humana, nossas dúvidas e anseios, são mesmo, senão universais, comuns a nossa civilização ocidental. A música, como já ficou demonstrado em incontáveis casos, é mesmo uma das mais poderosas ferramentas para a construção de nossa identidade e para a superação de nossas diferenças.





Nelson Rubens Kunze - é diretor-editor da Revista CONCERTO

Mais Textos

Auf Wiedersehen, Sir Rattle Por Leonardo Martinelli (22/6/2018)
Com Richard Strauss, ópera segue bem em 2018 no Municipal de São Paulo Por Nelson Rubens Kunze (19/6/2018)
Julia Lezhneva: Triunfo barroco na Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (12/6/2018)
Movimento Violão, 15 anos de atividades eternizadas num lançamento de fôlego Por Camila Frésca (4/6/2018)
Dois elencos, duas Traviatas Por Jorge Coli (28/5/2018)
Uma grande surpresa e um grande concerto para piano Por João Marcos Coelho (25/5/2018)
Suisse Romande: Master class na Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (15/5/2018)
Um matrimônio espirituoso, vivo e musical Por Jorge Coli (8/5/2018)
“Fausto” é novo marco artístico do Festival Amazonas de Ópera Por Nelson Rubens Kunze (7/5/2018)
Clássico em terreno popular: o encantador recital de Cristian Budu na série “Tupinambach” Por Camila Frésca (3/5/2018)
Um "Faust" digno dos grandes teatros internacionais Por Jorge Coli (2/5/2018)
Cristian, Jamil e OER empolgam o Municipal lotado Por Irineu Franco Perpetuo (30/4/2018)
Verdi futurista aterrissa no Theatro Municipal do Rio Por Nelson Rubens Kunze (30/4/2018)
Ótima "Traviata" estreia em Belo Horizonte Por Nelson Rubens Kunze (27/4/2018)
A Camerata Romeu e a reinvenção da música Por João Marcos Coelho (26/4/2018)
Primeira escuta: Ronaldo Miranda estreia obra com a Osesp Por Nelson Rubens Kunze (25/4/2018)
Oito olhos azuis e muita música Por Jorge Coli (19/4/2018)
‘Missa’ de Bernstein é destaque no Theatro Municipal de São Paulo Por Nelson Rubens Kunze (10/4/2018)
“O Corego” e os primórdios da representação operística Por Camila Frésca (6/4/2018)
Natalie Dessay: uma expressão que transcende as palavras Por Irineu Franco Perpetuo (5/4/2018)
Os Músicos de Capella fazem primorosa ‘Paixão’ de Bach Por Nelson Rubens Kunze (29/3/2018)
A música não mente Por João Marcos Coelho (27/3/2018)
Enfim, uma sede para a Ospa! Por Nelson Rubens Kunze (26/3/2018)
A Osesp, Villa-Lobos e o “voo de galinha” Por João Marcos Coelho (23/3/2018)
Jan Lisiecki: para uma temporada de austeridade, um pianista nada austero Por Irineu Franco Perpetuo (14/3/2018)
“Lo Schiavo” em Campinas: encantamento e melancolia Por Jorge Coli (12/3/2018)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Junho 2018 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
 

 
São Paulo:

26/6/2018 - Geneva Camerata e Pieter Wispelwey - violoncelo

Rio de Janeiro:
23/6/2018 - Ópera A flauta mágica, de Mozart

Outras Cidades:
24/6/2018 - São José dos Campos, SP - Festival Ethno Brazil
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2018 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046