Com grande temporada, OSB celebra os 450 anos do Rio de Janeiro

por Redação CONCERTO 06/01/2015

A Orquestra Sinfônica Brasileira, que tem regência de Roberto Minczuk e direção artística de Pablo Castellar, acaba de lançar sua programação para 2015. A temporada será marcada por duas comemorações: os 75 anos da própria OSB e os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro.

 

A orquestra ampliou para seis o número de séries de assinaturas – o dobro em relação ao ano passado –, em um total de 29 programas sinfônicos. Ao longo do ano, o grupo se apresentará em três palcos principais, todos no Rio de Janeiro – a Cidade das Artes, o Theatro Municipal e a Sala Cecília Meireles. A série Safira, que tradicionalmente ocorria na Sala São Paulo, este ano será transferida para o Rio de Janeiro por conta das celebrações dos aniversários da cidade e da Fundação OSB.

O ano começa nos dias 7 e 8 de março com uma programação especial. Sob regência de Roberto Minczuk e solos da soprano Rosana Lamosa e do pianista Jean-Louis Steuerman, a OSB vai apresentar a integral das nove Bachianas brasileiras de Villa-Lobos.

Já o primeiro concerto das séries de assinatura acontece em 28 de março, com Nelson Freire, no Theatro Municipal, pela série Ametista. Os 75 anos da orquestra serão comemorados ao longo de toda a programação, mas também ganham um concerto próprio, dentro desta série, regido por Minczuk e protagonizado pelo pianista Arnaldo Cohen, no dia 8 de agosto, também no Municipal.

Ao longo da temporada, diversos destacados solistas se apresentarão com a orquestra, como os pianistas David Fray, Jean-Philipe Collard, Conrad Tao, Fabio Martino e Arnaldo Cohen, o flautista Michael Faust, os violinistas Pinchas Zukerman e Luiz Filíp, e os violoncelistas Amanda Forsyth e Daniel Müller-Schott. Entre os regentes, destaca-se a presença de Tito Muñoz, Robert Spano, Frédéric Chaslin e Leonid Grin.

O repertório das apresentações presta algumas homenagens, em especial aos 150 anos de nascimento de Carl Nielsen e Jean Sibelius. Estão previstas, ainda, sinfonias de Glazunov, Dvorak, Radamés Gnattali, Mozart, Shostakovich, Beethoven, Mahler e Elgar. Durante a temporada, a Sinfônica Brasileira tocará doze obras pela primeira vez no Rio – entre elas, destacam-se as Variações temporais, de Ronaldo Miranda, e a estreia mundial da versão orquestral de Esferas rítmicas, de Jocy de Oliveira.

“É um prazer dividir com os cariocas a nossa comemoração pelos 75 anos dessa orquestra, que sempre buscou aliar a qualidade ao acesso do público à música”, disse Eleazar de Carvalho Filho, presidente do Conselho da Fundação OSB. Já o diretor Pablo Castellar destacou: “Celebraremos nossos músicos e nossa música apresentando cariocas, de nascimento ou de escolha: os pianistas Nelson Freire, Arnaldo Cohen, Jean Louis Steuerman e as cantoras Eliane Coelho e Rosana Lamosa, por exemplo. Apresentaremos também obras de compositores do Rio de Janeiro, partindo de Padre José Maurício Nunes Garcia, passando por Villa-Lobos, do qual apresentaremos o Ciclo Integral das “Bachianas Brasileiras”, até contemporâneos como João Guilherme Ripper e Ronaldo Miranda. Compositores internacionais que por aqui viveram como Marcos Portugal, Sigismund von Neukomm e Darius Milhaud e brasileiros como Alberto Nepomuceno, Franscisco Mignone também estarão sendo festejados”.

A Orquestra Sinfônica Brasileira, que já foi dirigida por maestros como Eleazar de Carvalho e Isaac Karabtchevsky, é o mais tradicional conjunto sinfônico do país. Fundada em 1940, a OSB foi a primeira a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia.

O período de vendas de assinaturas começa no dia 5 de fevereiro, para aqueles que quiserem renovar seus pacotes; de 26 de fevereiro a 10 de março será aberto o atendimento para novas adesões. Mais informações podem ser obtidas no site oficial da orquestra, www.osb.com.br.

[Clique aqui para ver a temporada completa da OSB.]

[Nota atualizada às 11h30 do dia 4/2/2015]

Clássicos Editorial Ltda. © 2015 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.