Festival Amazonas de Ópera chega à sua 18ª edição com grandes títulos e estreia de encomenda

por Redação CONCERTO 03/04/2014

Entre os dias 19 de abril e 4 de junho é realizado um dos mais importantes eventos da agenda clássica brasileira: o Festival Amazonas de Ópera (FAO), que em 2014 chega à sua 18ª edição. Contando com direção geral de Robério Braga e direção artística do maestro Luiz Fernando Malheiro (auxiliado pelo diretor adjunto, o maestro Marcelo de Jesus), o evento levará ao palco do Teatro Amazonas quatro montagens inéditas, entre elas a estreia mundial da ópera Onheama, do compositor João Guilherme Ripper, a primeira encomenda do FAO em sua história.

 

“Dando continuidade à política do governador Omar Aziz de incentivo e valorização dos artistas locais, chegamos à maioridade do festival de ópera com mais de 95% dos técnicos, cenógrafos, músicos, iluminadores, tenores e artistas em geral formados no Amazonas ou pertencentes aos corpos artísticos do estado, o que nos transforma em um dos principais centros de talentos e de cultura do país”, ressaltou Robério Braga.

O primeiro espetáculo tem récitas nos dias 20, 22 e 26, quando será levada ao palco do Teatro Amazonas a versão do diretor de cena italiano Pier Francesco Maestrini para a ópera Manon Lescault, de Giacomo Puccini. À frente da Amazonas Filarmônica e do Coral do Amazonas, o maestro Malheiro conduz um elenco integralmente nacional, protagonizado pela soprano Daniella Carvalho (Manon Lescault), que dividirá o palco com Juremir Vieira (Des Grieux), Eduardo Amir (Lescaut), Sandro Christopher (Geront) e Enrique Bravo (Edmondo). No dia 22, quem rege o título é Otávio Simões, maestro assistente da Amazonas Filarmônica.

Entre os dias 27 de abril e 3 de maio ocorrem quatro récitas previstas para a ópera Lucia di Lammermoor, de Gaetano Donizetti. Dois elencos distintos irão se alternar nos papeis protagonistas, com destaque para as sopranos Anna Skibinsky e Dhijana Nobre, no papel-título. Com regência de Marcelo de Jesus (dias 27 e 29 de abril, e 1º de maio) e Otávio Simões (dia 3 de maio), o título contará com direção de cena de Alejandro Chacón.

Um dos momentos mais aguardados do festival será a nova montagem da ópera Carmen, de Bizet, a ser apresentada nos dias 18, 20 e 24 de maio. Novamente sob regência de Malheiro, mas desta vez com direção cênica do italiano Enrico Castiglione, Carmen terá no papel da sedutora cigana a prestigiada soprano chilena Cristina Gallardo-Domâs.

Já no final de maio, a partir do dia 25, o FAO planeja seu encerramento em grande estilo, com a estreia mundial do primeiro título operístico especialmente encomendado pelo evento: Onheama, de João Guilherme Ripper.

A ópera, voltada para o público infanto-juvenil, é baseada no poema A infância de um guerreiro, no qual o poeta manauara Max Carphentier evoca diversos personagens e lendas da floresta amazônica. A direção cênica será do brasileiro William Pereira. No elenco vocal alternam-se os meninos cantores Edilson Cardoso e Edney Lira no papel de Iporangaba. A soprano Dhijana Nobre encarna a índia Iara e contracena com o barítono Rafael Lima (Tuxaua), o tenor Enrique Bravo (Boto) e a também soprano Isabelle Sabrié, que se divide entre os papéis de Nhandeci, a mãe da tribo, e Xivi, a onça celeste. A direção musical será compartilhada entre os maestros Malheiro, De Jesus e Otávio Simões, que atuarão à frente da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica.

Além dos títulos líricos, o FAO também programou uma série de concertos e recitais. A novidade deste ano fica por conta dos debates que serão realizados sempre no dia anterior à estreia de cada ópera, no Centro Cultural Palácio da Justiça.

[Confira aqui a programação completa do 18º Festival Amazonas de Ópera]

Clássicos Editorial Ltda. © 2014 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.