Júlio Medaglia é o novo imortal da Academia Paulista de Letras

por Redação CONCERTO 02/12/2009

Com ampla maioria de votos, o maestro Julio Medaglia foi eleito membro da Academia Paulista de Letras. A posse (aberta ao público) será no dia 3 de dezembro às 18 horas, no Salão Nobre da Sala São Paulo, em solenidade na qual Medaglia será saudado pelo acadêmico José Pastore. O maestro ocupará a cadeira nº 3, cujo patrono é Matias Aires e que já foi ocupada por Mário de Andrade.

Julio Medaglia é um dos mais brilhantes e atuantes músicos brasileiros da atualidade. Formado em regência na Alemanha, onde também fez carreira, Medaglia trabalhou com as principais orquestras brasileiras, tendo sido diretor do Teatro Municipal de São Paulo e do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão. Junto com Gilberto Mendes, Willy Corrêa de Oliveira, Régis e Rogério Duprat, entre outros, Medaglia foi signatário do Manifesto Música Nova (1963) e se notabilizou por uma engajada participação no movimento da música popular brasileira no final da década de 1960. Atualmente, entre outras atividades, dirige o programa “Prelúdio”, da TV Cultura. Autor de livros como “Música Impopular” e “Música, maestro”, Julio Medaglia também desenvolve sua verve literária na Revista CONCERTO, da qual é colunista desde 1996.

A Academia Paulista de Letras, fundada há exatos 100 anos, tem entre seus membros personalidades como José Mindlin, Antônio Ermírio de Moraes, Ives Gandra da Silva Martins, Mário Chamie e Lygia Fagundes Telles. Quanto ao fato de tornar-se imortal de instituição tão tradicional, Medaglia disparou: “Não significa que seja um mausoléu! A APL é composta pela fina flor da inteligência paulista, em plena atividade criadora. Para mim, além da grande honra, será um novo desafio, o de embarcar naquela avalanche intelectual tão diversificada e rica de ideias culturais. Dar sequência ao ideário de Mário de Andrade a partir da cadeira 3 que ele usou, será um bom projeto de vida daqui para frente.”