Maestro John Neschling é demitido da direção artística do Theatro Municipal de São Paulo

por Redação CONCERTO 05/09/2016

O IBGC – Instituto Brasileiro de Gestão Cultural, organização social que administra o Theatro Municipal de São Paulo, acaba de anunciar a demissão do maestro John Neschling da direção artística e regência titular do Theatro Municipal de São Paulo. Fortes rumores indicavam a saída do maestro na semana passada. Em uma carta aberta publicada ontem, John Neschling afirmou que não renunciaria ao cargo [leia aqui].

 

Em comunicado distribuído à imprensa, o maestro Neschling fala que o ato unilateral da demissão “pretendeu extinguir de forma ilegal e arbitrária o contrato antes celebrado e que, como tal, assim será objeto de providências legais, sujeitas a avaliação conjunta com meus advogados”.

O maestro John Neschling foi envolvido no esquema fraudulento que desviou cerca de R$ 15 milhões de recursos públicos destinados ao Theatro Municipal de São Paulo pela delação premiada do criminoso confesso José Luiz Herência. No único documento oficial divulgado até o momento, o relatório de mais de 70 páginas da Controladoria Geral do Município, não há menção a qualquer conduta irregular ou ilícita do maestro John Neschling.

Leia abaixo os comunicados do IBGC e do maestro John Neschling

Comunicado do IBGC
O Instituto Brasileiro de Gestão Cultural, organização social responsável pela administração do Theatro Municipal de São Paulo, anuncia a saída do Maestro John Neschling das funções de diretor artístico da casa e de regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal.

A agenda de apresentações do Theatro segue inalterada, com a estreia mundial do espetáculo "Titã", com o Balé da Cidade de São Paulo e a Orquestra Sinfônica Municipal, no próximo sábado, 10 de setembro. Outras informações serão divulgadas oportunamente à imprensa e ao público do Theatro Municipal.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GESTÃO CULTURAL
Organização Social administradora do Theatro Municipal de São Paulo

Comunicado do maestro John Neschling
Fui hoje (5/9/2016) afastado da Direção Artística do Theatro por ato que unilateralmente pretendeu extinguir de forma ilegal e arbitrária o contrato antes celebrado e que, como tal, assim será objeto de providências legais, sujeitas a avaliação conjunta com meus advogados.

Mantenho-me com altivez, de cabeça erguida. Não participei de nenhum esquema, de nenhum tipo de falcatrua. Reitero a minha inocência. Sempre julguei que aquele que é inocente deve permanecer onde está para aguardar com tranquilidade a investigação em todos os âmbitos. Meu compromisso é com a verdade e com o meu público e permanecer no Theatro é a melhor forma de ser fiel aos meus compromissos.

Fui traído por todos aqueles que um dia disseram prezar meu trabalho, a cultura brasileira e o Theatro Municipal, e que hoje cedem à mentira e a pressão do Ministério Público, para manter em pé um projeto político.

Quanto àqueles que atuam para liquidar meu nome e reputação saibam que minha honra é fruto de minha trajetória de cinquenta anos de vida pública com imagem ilibada. E não será um complô político que vai manchar a minha história.

John Neschling