Morre em Curitiba a soprano Neyde Thomas

por Redação CONCERTO 01/08/2011

Um dos mais importantes nomes da música lírica brasileira do século XX, a soprano e educadora paulista Neyde Thomas faleceu na madrugada desta segunda-feira, aos 81 anos. Neyde Thomas foi membro efetivo da Deustche Oper de Berlim e por 20 anos esteve longe do Brasil em uma intensa carreira internacional. Apresentou-se ao lado de grandes cantores como Alfredo Kraus, Luciano Pavarotti, Plácido Domingo, Cezare Siepi e Montserrat Caballé; nos principais teatros da Europa e Américas, dentre eles o Metropolitan de Nova York, a Ópera de Monte Carlo, a Academia de Santa Cecília de Roma, o Liceu e o Palácio de La Musica de Barcelona, o Teatro Angelicum de Milão e o Palais de Beaux Arts de Bruxelas. Participou também da gravação em filme da ópera Don Giovanni, com direção de Walter Felsenstein no Komische Oper, na Alemanha.

 

Em uma carreira brilhante, como cantora e como professora, Neyde Thomas recebeu a Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo, a Comenda Euclides da Cunha, o Prêmio Carlos Gomes, a Medalha de Ouro no Festival de Valência, a Medalha de Ouro do Concurso 'Achille Peri' de Reggio Emilia e a Medalha de Ouro da Società Giandino de Milão.

Em 1999 ela foi convidada para representar o Brasil na transmissão ao vivo para o Brasil das óperas do Metropolitan Opera House, recebendo o Troféu Texaco Metropolitan Opera International Radio Network.

Além da atuação nos palcos, Neyde Thomas ajudou a formar muitos atuais talentos da música lírica brasileira, como professora em Curitiba e em aulas e cursos por todo o Brasil. Recentemente, o maestro Júlio Medaglia lançou o livro "Neyde Thomas - Vida e Arte", com 279 páginas sobre a trajetória deste ícone da música brasileira.

De acordo com a família, o corpo de Neyde Thomas está sendo velado na Igreja Batista do Bacacheri, em Curitiba, e o sepultamento acontece nesta terça-feira às 13 horas.

[Assista ao vídeo de Neyde Thomas no especial pelos 20 anos de carreira]