Mozarteum lança programação 2017; temporada não terá mais sistema de assinaturas

por Redação CONCERTO 26/10/2016

O Mozarteum Brasileiro, uma das mais importantes entidades promotoras de concertos no Brasil, está mudando. Conforme anúncio oficial feito ontem, a entidade partirá para uma “nova fase e nova configuração de suas atividades”. “Desde 1981 o Mozarteum vem atuando para cumprir dois grandes objetivos: trazer a excelência musical para o público brasileiro e, ao mesmo tempo, incentivar o desenvolvimento pessoal e social por meio de várias iniciativas de cunho cultural e educativo”, conta Sabine Lovatelli, presidente do Mozarteum. “Este novo Mozarteum que estamos planejando representa a perspectiva de ampliar substancialmente nossos esforços em prol das atividades socioeducativas e beneficiar, assim, mais e mais pessoas.”

 

Todas as atividades realizadas até então pelo Música em Trancoso passarão a fazer parte da mesma “bandeira” do Mozarteum. Conforme a o material de divulgação, “uma agenda única e diversificada de atrações incluirá apresentações de grandes concertos ao longo do ano, tanto em Trancoso, no sul da Bahia, quanto em São Paulo, e a realização de múltiplas atividades socioeducativas, com expectativa de ampla repercussão em públicos de várias faixas etárias e segmentos sociais”. Entre as novidades está a criação da Orquestra Jovem Mozarteum, com regência de Carlos Moreno e direção artística de Sabine Lovatelli, com estreia prevista para a 6ª edição do festival Música em Trancoso, que ocorrerá de 18 a 25 de março de 2017. Outro importante evento de caráter pedagógico que seguirá abrigado em Trancoso acontecerá em julho: a terceira edição da Academia Canto em Trancoso, iniciativa que conta com a parceria da Chorakademie Lübeck, que proporcionará a cinquenta bolsistas uma semana de aprendizado com grandes mestres do canto erudito – sendo que alguns serão selecionados para um período de estudos na Alemanha.

Em Trancoso, as atrações programadas ocorrerão no Teatro L’Occitane – palco do Música em Trancoso. Como conta Sabine Lovatelli, “nosso teatro, que já é um polo de irradiação cultural, tende a se fortalecer cada vez mais com a nova configuração de atividades”.

O impacto mais imediato para os amantes da música em São Paulo é que, sob essa nova configuração, a temporada não terá mais o sistema de vendas de assinaturas. Como explica a entidade, “com isso, os espectadores terão a possibilidade de escolha dos concertos e das atividades de sua preferência, como foi feito parcialmente neste ano, quando foram disponibilizadas assinaturas e também a compra direta de ingressos (no recital do tenor alemão Jonas Kaufmann)”.

Em São Paulo ocorrerão três eventos na Sala São Paulo: em maio, a capital recebe a grande soprano alemã Diana Damrau (foto acima) com Nicolas Teste ao piano; em junho será a vez da Filarmônica de Praga, regida por Jakup Hrnsa e com violinista Vadim Repim como solista; e em agosto, a programação terá a soprano Pretty Yende e o tenor Javier Camarena, acompanhados por Angel Rodriguez, ao piano.

O ano terá seu encerramento em Trancoso, em novembro, com a Orquestra Sinfônica de Bucareste, sob regência de Benoît Fromanger e com a soprano Joanna Wós e o tenor Tadeusz Szlenkier como solistas convidados.

[Clique aqui para consultar a programação completa.]

[Clique aqui para mais informações no site do Mozarteum Brasileiro.]