Orquestra Petrobras Sinfônica lança duas séries de assinatura para 2016

por Redação CONCERTO 29/12/2015

A Orquestra Petrobras Sinfônica programou oito concertos para suas séries de assinaturas de 2016. Quatro deles serão regidos pelo titular do grupo, o maestro Isaac Karabtchevsky, e o restante da temporada estará a cargo de regentes convidados: Cláudio Cruz, Guilherme Mannis, Tobias Volkmann e Felipe Prazeres, que também é spalla do grupo.

 

São duas as séries de assinaturas: Djanira e Portinari. A primeira, a abertura do ano, será em março, quando Karabtchevsky recebe o pianista Flávio Augusto como solista. Ele vai interpretar os Quatro temperamentos para piano e cordas, de Paul Hindemith. O programa se completa com o Uirapuru, de Villa-Lobos, O reino encantado, de Nikolai Tcherepnin, e a suíte O pássaro de fogo, de Stravinsky, na versão de 1919.

Guilherme Mannis sobe ao pódio para o concerto de maio, que terá obras de Nepomuceno, Brahms e a Rapsódia sobre um tema de Paganini, de Rachmaninov, com o pianista Fábio Martino.

Em julho, o destaque é a ópera, com o tenor Fernando Portari como convidado. Sob regência de Tobias Volkmann, Portari, um dos mais destacados cantores líricos brasileiros da atualidade, vai interpretar árias de óperas de Carlos Gomes, Puccini, Verdi e Delius.

Karabtchevsky volta ao palco em novembro, para um programa que tem como destaque o Concerto duplo para violino e violoncelo, de Brahms: os solistas serão o violinista Ricardo Amado e o violoncelista Hugo Pilger. O repertório inclui ainda obras de Dvorák e de Mateus Freire.

A série Portinari começa em abril, quando o violista Dhyan Toffolo e o clarinetista Cristiano Alves interpretam o pouco executado Concerto duplo para clarinete, viola e orquestra de Max Bruch, sob regência de Karabtchevsky. O programa tem ainda uma obra de Dimitri Cervo e a Sinfonia nº 5 de Tchaikovsky.

No segundo concerto da série, em junho, com regência de Felipe Prazers, será interpretada a Sinfonia nº 1 de Tchaikovsky e o Concerto nº 5, Imperador, de Beethoven, com solos do jovem pianista Pablo Rossi.

Em setembro, o grupo apresenta obras de Strauss e Mahler, sob regência de Karabtchevsky e com solos do oboísta Carlos Prazeres.

O último concerto, em outubro, é dedicado à música brasileira, sob comando de Cláudio Cruz. A apresentação terá obras de Camargo Guarnieri, Marco Pereira (que sola ao violão), além de Villa-Lobos.

Assinaturas
O período de novas assinaturas vai até o dia 1º de março de 2016. Mais informações no site www.petrobrasinfonica.com.br.

Clássicos Editorial Ltda. © 2015 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.