Renomado maestro Neeme Järvi rege Osesp em três apresentações

por Redação CONCERTO 05/09/2008

O regente estoniano Neeme Järvi, considerado um dos maiores nomes da regência mundial, dirige a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo em um programa com a música de Enesco, Shostakovich e Dvorák. Como solista convidado, para abrilhantar ainda mais os concertos que abrem o mês de setembro da Osesp, está o virtuose chinês do violoncelo Jian Wang. escalado para tocar o Concerto nº 1 de Shostakovich. (Veja o programa completo em nosso Roteiro).

Nascido em Tallinn, em 1937, Järvi estudou no Conservatório de São Petersburgo, sob orientação de nomes como Nikolai Rabinowitz e Evgeny Mravinsky, e voltou ao seu país para trabalhar na Sinfônica Nacional e na Ópera da Estônia. Em 1971, ganhou o primeiro prêmio no prestigioso Concurso Internacional de Regentes da Academia Santa Cecília de Roma.

Em 1980, migrou para os Estados Unidos, de onde passou a empreender uma sólida carreira de regente: foi titular da Sinfônica de Detroit (tornando-se diretor musical emérito da instituição) e diretor artístico da Sinfônica de Nova Jersey, além de inúmeros cargos e honrarias conquistados na Europa e até Ásia (é o primeiro regente convidado da Filarmônica do Japão). Como um dos regentes com maior número de gravações já realizadas, Järvi conta com mais de 400 discos lançados pelos selos Deutsche Grammophon, Chandos, BIS, Orfeo, EMI e BMG.

Jian Wang (violoncelo)
O violoncelista Jian Wang começou a estudar seu instrumento bem cedo, com apenas 4 anos de idade, orientado por seu pai. Alguns anos mais tarde, já matriculado no Conservatório de Xangai, ele travaria contato e receberia apoio de uma figura chave para o sucesso de sua trajetória artística, o violinista Isaac Stern, então em turnê pela China.

Desde o seu début no Carnegie Hall, em 1986, Jian Wang já se apresentou com as principais orquestras do mundo, tendo se tornado um concertista realmente do primeiro time. Wang também tem gravado extensivamente, para selos como o Deutsche Grammophon (confira a performance de uma das Suítes para violoncelo de Bach em nossa seção Mídia). Em sua primeira aparição ao lado da Osesp, destaque também para o notável instrumento que ele utilizará, um violoncelo Amati de 1622.