Theatro Municipal de São Paulo apresenta temporada 2016

por Redação CONCERTO 16/12/2015

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (dia 16) – com a presença de Nabil Bonduki (secretário de Cultura de São Paulo), John Neschling (diretor artístico da Fundação Theatro Municipal), Paulo Dallari (diretor geral da Fundação) e William Nacked (diretor do IBGC, organização social associada à Fundação) – o Theatro Municipal de São Paulo anunciou a sua temporada do ano que vem: serão quatro óperas na série lírica – La bohème, de Puccini, Lady Macbeth do distrito de Mtsensk, de Shostakovitch, Elektra, de Richard Strauss, e Fosca, de Carlos Gomes – uma temporada de balés e uma de concertos sinfônicos, além de um Festival Beethoven, que terá a execução da integral das sinfonias e concertos do compositor alemão.

 

O anúncio da temporada vem após um período de indefinições, em que o teatro comunicou o cancelamento do último título da temporada atual (Così fan tutte) e severos cortes na temporada 2016, que já havia sido divulgada previamente em agosto. Agora, a direção garante a realização da nova programação: “O financiamento dessa temporada será todo feito com o dinheiro do tesouro”, falou Paulo Dallari. A temporada deverá custar R$ 18 milhões e, conforme o diretor, não dependerá de outras verbas condicionadas como captações privadas ou aluguel do espaço. “Fizemos um planejamento conservador para garantir a realização da temporada. Se conseguirmos captar mais, ótimo, poderemos investir em outros setores ou até mesmo criar um fundo de manutenção para situações emergenciais”, completou o diretor geral.

John Neschling detalhou alguns aspectos da programação. La bohème será uma remontagem da bem avaliada produção de 2013; Lady Macbeth, uma produção da Ópera Helikon de Moscou, será toda trazida da Rússia (“inclusive maestro”) e marca a estreia do título em São Paulo; Elektra, de Richard Strauss, nova produção do TMSP, terá direção cênica de Lívia Sabag, que foi a responsável pela montagem de Salomé de 2014; e finalmente Fosca, de Carlos Gomes, que promete ser a principal produção do ano. “Fosca terá direção de cena de Stefano Poda e uma produção de altíssimo nível. A ópera também será gravada em DVD”, afirmou Neschling.

Em uma parceria rara, os teatros municipais de São Paulo e do Rio de Janeiro planejam uma troca de títulos em 2017, quando a Fosca de São Paulo deverá ser levada no Rio de Janeiro e, na outra mão, o Municipal paulistano receberá o Lo Schiavo que será produzido em 2016 pelo teatro carioca. O maestro John Neschling também destacou o Festival Beethoven, que terá o pianista Ricardo Castro como solista dos concertos para piano, e o espetáculo com obras de Manuel de Falla, que será apresentado em julho, uma coprodução internacional com direção cênica de La Fura dels Baus. “Enfim, é uma temporada digna, bonita e de qualidade, pois de qualidade não abrimos mão”, concluiu o maestro.

Já o secretário de Cultura Nabil Bonduki falou do apoio que a Prefeitura tem dado ao Theatro Municipal (“em 2015 o Theatro Municipal vai executar 10% acima da verba prevista”) e destacou a regularização do vínculo trabalhista de artistas e funcionários levada a cabo por meio das contratações via CLT firmadas pelo IBGC. William Nacked, por sua vez, falou do projeto Municipal Digital – que promoverá a difusão dos espetáculos por meio da internet –, que, no entanto, terá de esperar a captação de novos recursos; “a prioridade hoje é manter tudo isso de pé”, afirmou, referindo-se a extensa programação dos corpos estáveis do teatro.

Além das óperas e dos concertos sinfônicos, haverá temporadas do Balé da Cidade, da Orquestra Experimental de Repertório, do Quarteto da Cidade (na Sala do Conservatório) e do Coral Paulistano. As séries de música contemporânea e música de câmara na Sala do Conservatório também terão continuidade.

A venda de assinaturas da temporada do Theatro Municipal de São Paulo se inicia amanhã, dia 17, para renovações; novas assinaturas poderão ser adquiridas a partir do dia 21 de janeiro de 2016. São cinco modalidades de assinaturas, divididas em categorias. Os pacotes de óperas variam entre R$ 120 a R$ 640; de balés, entre R$ 100 a R$ 360; de concertos, entre R$ 150 e R$ 540; do Festival Beethoven, entre R$ 125 e R$ 450; e pacotes combinados, entre R$ 200 e R$ 600. Mais informações estão disponíveis no site do teatro.

 


 

Veja abaixo mais detalhes da temporada lírica 2016 do Theatro Municipal de São Paulo

LA BOHÈME
Giacomo Puccini
30/04 sáb 20h | 01/05 dom 17h | 03/05 ter 20h | 04/05 qua 20h | 06/05 sex 20h | 07/05 sáb 20h | 08/05 dom 17h
Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo
Eduardo Strausser - direção musical e regência
Gianluca Martinenghi - regente assistente
Arnaud Bernard - direção cênica, cenografia e iluminação
(remontagem de Julianna Santos)
Carla Ricotti - figurinos

LADY MACBETH DO DISTRITO DE MTSENSK
Dmitri Shostakovich
12/07 ter 20h | 13/07 qua 20h | 14/07 qui 20h | 15/07 sex 20h | 16/07 sáb 20h | 17/07 dom 17h
Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo
Vladimir Ponkin - direção musical e regência
Dmitry Berman - direção cênica

ELEKTRA
Richard Strauss
09/10 dom 17h | 12/10 qua 20h | 13/10 qui 20h | 15/10 sáb 20h | 16/10 dom 17h | 18/10 ter 20h | 20/10 qui 20h
Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo
John Neschling - direção musical e regência
Eduardo Strausser - regente assistente
Lívia Sabag - direção cênica
Nicolás Boni - cenografia
Fábio Namatame - figurinos
Caetano Vilela - iluminação

FOSCA
Antônio Carlos Gomes
07/12 qua 20h | 08/12 qui 20h | 10/12 sáb 20h | 11/12 dom 17h | 13/12 ter 20h | 15/12 qui 20h | 17/12 sáb 20h
Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo
Balé da Cidade de São Paulo
John Neschling - direção musical e regência
Eduardo Strausser - regente assistente
Stefano Poda - direção cênica, cenografia, figurino, iluminação e coreografia

Clássicos Editorial Ltda. © 2015 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.