Violoncelista Mischa Maisky toca Bruch, Haydn e Tchaikovsky na Sala São Paulo

por Redação CONCERTO 12/09/2016

O violoncelista Mischa Maisky tinha ainda 17 anos quando ouviu Mstislav Rostropovich defini-lo como “um músico que combina poesia e rara delicadeza com ótimo temperamento e técnica excepcional”. De lá para cá, sua trajetória só confirmou o veredicto do antigo mestre. Maisky tornou-se não apenas símbolo do seu instrumento como de um fazer musical construído a partir do diálogo com parceiros como a pianista Martha Argerich, o violinista Pinchas Zukerman bem como com os músicos do conjunto Tel Aviv Soloist. E é com este grupo que o exímio violoncelista volta este mês ao Brasil, para dois concertos pela temporada do Mozarteum Brasileiro, nos dias 13 e 14.

 

Os músicos apresentam dois programas distintos, com regência de Barak Tal. No dia 13, o concerto se abre com a Sinfonia nº 1, de Beethoven, e, em seguida, Maisky interpreta o Kol Nidrei para violoncelo e orquestra, de Max Bruch. Após o intervalo, mais uma sinfonia, a de número 1 de Prokofiev, batizada de Clássica, e as Variações sobre um tema rococó para violoncelo e orquestra, de Tchaikovsky.

O segundo dia começa com Mozart e sua Sinfonia nº 41, Júpiter, seguida do Noturno para violoncelo e orquestra, de Tchaikovsky, e do Kol Nidrei, de Bruch. Os Tel Aviv Soloists voltam a apresentar, então, a Sinfonia nº 1 de Prokofiev. E a apresentação se encerra com o Concerto para violoncelo nº 1 em dó maior, de Haydn.

[Veja mais no Roteiro Musical]