Música perde maestro Flavio Florence

por Redação CONCERTO 22/09/2008

Na madrugada do dia 21 de setembro, o meio musical brasileiro perdeu o maestro Flavio Florence, diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica de Santo André e colunista da Revista CONCERTO.

Nascido em São Paulo em 1957, Florence iniciou seus estudos musicais na Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Depois, graduou-se em regência pela Unicamp e aperfeiçoou-se no Real Conservatório de Música de Haia, na Holanda. Foram seus professores os flautistas Jean-Noël Saghaard e Alex Murray, além dos maestros Frans Moonen, Benito Juarez e Henrique Gregori.

Atuando como instrumentista, Flavio Florence integrou as orquestras sinfônicas de Santo André, Jovem Municipal de São Paulo e Sinfônica Municipal de Campinas, nesta última trabalhando também como regente assistente.

Tendo vencido por duas vezes o Concurso Jovens Regentes da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Florence abandonou a flauta e há muito tempo dedicava-se apenas à regência. Desde 1987 era o maestro titular da Sinfônica de Santo André, sendo responsável por uma extensa programação de concertos sinfônicos que acontecia regularmente naquela cidade.

Flavio Florence atuou também como professor, dando aulas de regência orquestral na Faam e na Universidade Federal de Minas Gerais. Entre as atividades na área musical ainda pode-se destacar sua participação como membro da Comissão Estadual de Música e coordenador dos Encontros de Orquestras Jovens do Estado de São Paulo, além de assistente do maestro Eleazar de Carvalho no Festival de Inverno de Campos do Jordão.

Há quase dois anos, o maestro lutava contra um câncer, assunto que abordou em algumas de suas matérias na Revista CONCERTO. Seus textos estavam entre os mais comentados e apreciados pelos leitores. Com escrita fluente e fino humor, Florence tinha a rara habilidade de cativar leigos e especialistas com observações argutas sobre o universo musical e suas particularidades. O maestro fará falta, também, pela amizade e respeito que tinha para com seus colegas e colaboradores.