Orquestra Filarmônica Austro-Húngara Haydn faz dois concertos na Sala São Paulo

por Redação CONCERTO 08/05/2015

Nos dias 12 e 13 de maio, na Sala São Paulo, o Mozarteum Brasileiro promove dois concertos da Orquestra Filarmônica Austro-Húngara Haydn Esterházy. O grupo é regido por Alexander Lonquich, que também atua como solista, ao piano. Nascido em Trier, ele estudou o instrumento com Paul Badura-Skoda e, como solista, atuou sob a regência de maestros como Claudio Abbado e Mark Minkowski.

 

A história da orquestra está ligada, de certa forma, à geopolítica internacional do final do século XX. Isso porque ela surgiu da união de integrantes da Filarmônica de Viena e músicos húngaros, com o objetivo, segundo o maestro Adam Fischer, seu criador, de ultrapassar os limites da cortina de ferro e promover um diálogo a partir da interpretação da música de Haydn.

Não por acaso, a sede do conjunto é o Palácio Esterházy, em Eisenstadt, onde o compositor trabalhou e escreveu algumas de suas principais obras. Na passagem por São Paulo, a orquestra apresenta dois programas distintos. No dia 12, a apresentação é aberta com o Concerto para piano nº 19 de Mozart, seguido da Sinfonia nº 92, Oxford, de Haydn e de outro concerto mozartiano, o de nº 25. Já no dia 13, ao Concerto nº 25 e à sinfonia de Haydn soma-se a Sinfonia nº 5 de Schubert.

[Veja mais no Roteiro Musical: dia 12dia 13]

Clássicos Editorial Ltda. © 2015 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.