Santa Marcelina Cultura assume Theatro São Pedro

por Redação CONCERTO 28/04/2017

A Secretaria de Estado da Cultura decidiu não prorrogar o contrato de gestão do Theatro São Pedro (e de seus corpos estáveis), que mantinha com a Organização Social Instituto Pensarte e que vence no domingo, 30 de abril. O equipamento passará às mãos da Organização Social Santa Marcelina Cultura, que hoje é responsável pela gestão da Emesp (Escola de Música do Estado de São Paulo) e do Projeto Guri Capital e Grande São Paulo. A notícia foi divulgada na tarde de hoje pelo jornalista João Luiz Sampaio, do jornal O Estado de S.Paulo, e confirmada no início da noite pela assessoria de imprensa da secretaria (leia comunicado oficial abaixo). A nota também informa que a Orquestra Jazz Sinfônica passará “a ser gerida pela Fundação Padre Anchieta, cuja gestão incluirá como espaço para ensaios o Teatro Franco Zampari”.

A decisão do desligamento do Instituto Pensarte vem no bojo de uma série de ações equivocadas da Secretaria da Cultura – entre elas o corte de quase metade da verba do teatro, o adiamento do processo de seleção para a nova OS e finalmente um edital mal elaborado que acabou contestado judicialmente – e põe fim à primeira gestão efetivamente profissional do teatro. Desde 2012 no comando da casa, o Instituto Pensarte logrou construir uma consistente temporada lírica (com séries de assinaturas) e foi pioneiro na criação de uma academia de ópera associada ao teatro. O Theatro São Pedro tem como diretor artístico o maestro Luiz Fernando Malheiro, uma das maiores personalidades do universo brasileiro da ópera e também diretor do Festival Amazonas de Ópera.

A Revista CONCERTO apurou que a transferência da direção foi decidida nessa semana, atendendo à orientação do departamento jurídico da Secretaria. Nos últimos dois dias, Santa Marcelina Cultura e Instituto Pensarte já fizeram reuniões para acertar as questões burocráticas; os contratos de músicos e profissionais ligados ao Theatro São Pedro deverão ser transferidos para a nova OS. Esta será a primeira vez que um equipamento cultural completo, com orçamento anual previsto de R$ 17 milhões, passa de uma OS a outra sem uma convocação pública por meio de um edital.

Leia abaixo o comunicado oficial da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, em razão do término do contrato do Instituto Pensarte, e visando à continuidade das atividades do Theatro São Pedro, da Academia de Ópera e da Jazz Sinfônica, informa:

1. O corpo do Theatro São Pedro, a Academia de Ópera e o Teatro Caetano de Campos passarão a ser geridos, a partir do dia 2 de maio,  pela OS Santa Marcelina Cultura, gestora da Escola de Música Tom Jobim e do Projeto Guri, na Capital e na Grande São Paulo.

2. A Jazz Sinfônica passará a ser gerida pela Fundação Padre Anchieta, cuja gestão incluirá como espaço para ensaios o Teatro Franco Zampari.

A Secretaria de Estado da Cultura agradece o intenso trabalho realizado pelo Instituto Pensarte. Trabalho que, sem dúvida, resultou em um salto de qualidade na produção operística em São Paulo reconhecida, inclusive, com o prêmio APCA de melhor espetáculo de Ópera em 2016 (Dom Quixote).