Banner 468x60
Banner 180x60
Bom dia.
Quinta-Feira, 21 de Junho de 2018.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 

 
 
 
Orfeu nos infernos (1/11/2012)
Por Nelson Rubens Kunze

Fui ontem (31/10) assistir ao Orfeu e Eurídice de Gluck, nova produção do Teatro Municipal de São Paulo. Se você ainda não leu a excelente crítica de Leonardo Martinelli no Site CONCERTO, leia agora [clique aqui para ler]. Leonardo produziu um belo texto, “Orfeu nas alturas”, com uma esclarecedora e interessante interpretação da encenação do diretor cênico Antonio Araújo. Concordo com ele, gosto das montagens modernas. O conceito deste Orfeu lembrou o do Dido e Enéas de anos atrás, que então elenquei como das melhores produções do teatro naquele ano [leia aqui a minha resenha do Dido e Enéas].

Infelizmente, contudo, a parte boa do espetáculo terminou aí. A ópera foi montada dentro de uma obra (obra mesmo – não se aventure se você não estiver disposto a encarar tapumes e banheiros químicos sem iluminação!), em um espaço formado por uma “caixa de concreto” que no futuro será a sala de ensaios da Orquestra Sinfônica Municipal. Ok, um espaço com essas “características” pode ser muito estimulante para as ideias pouco ortodoxas de Antonio Araújo, mas não com todo ruído externo e uma temperatura ambiente que deveria estar acima dos 30 graus. Fácil deduzir que quem pagou a conta foi a música. O som da orquestra ficou comprometido e, para piorar, a amplificação das vozes solistas (concordo que imprescindível para esta montagem) estava desigual e desequilibrada. Os músicos, solistas, coros e maestro suavam em bicas (e nós também!), em um esforço que não sei se foi muito recompensador...

Não me interessam os formalismos e gosto de ideias novas. Acho também que temos de experimentar fórmulas diferentes (como essas propostas por Antonio Araújo) para alcançar novos públicos, revitalizar a ópera, integrar organicamente a música clássica na comunidade etc. Mas saí com a impressão de que o resultado da montagem – instigante que foi – não fez jus à partitura de Gluck, muito menos às excelentes vozes de Kilmara Pessatti, Gabriella Pace e Edna d’Oliveira, ao extraordinário maestro Nicolau de Figueiredo, aos músicos da Sinfônica Municipal e aos cantores do Coral Paulistano.

Ficou faltando a música para “que o mundo inteiro sirva ao império da beleza”...





Nelson Rubens Kunze - é diretor-editor da Revista CONCERTO

Mais Textos

Com Richard Strauss, ópera segue bem em 2018 no Municipal de São Paulo Por Nelson Rubens Kunze (19/6/2018)
Julia Lezhneva: Triunfo barroco na Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (12/6/2018)
Movimento Violão, 15 anos de atividades eternizadas num lançamento de fôlego Por Camila Frésca (4/6/2018)
Dois elencos, duas Traviatas Por Jorge Coli (28/5/2018)
Uma grande surpresa e um grande concerto para piano Por João Marcos Coelho (25/5/2018)
Suisse Romande: Master class na Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (15/5/2018)
Um matrimônio espirituoso, vivo e musical Por Jorge Coli (8/5/2018)
“Fausto” é novo marco artístico do Festival Amazonas de Ópera Por Nelson Rubens Kunze (7/5/2018)
Clássico em terreno popular: o encantador recital de Cristian Budu na série “Tupinambach” Por Camila Frésca (3/5/2018)
Um "Faust" digno dos grandes teatros internacionais Por Jorge Coli (2/5/2018)
Verdi futurista aterrissa no Theatro Municipal do Rio Por Nelson Rubens Kunze (30/4/2018)
Cristian, Jamil e OER empolgam o Municipal lotado Por Irineu Franco Perpetuo (30/4/2018)
Ótima "Traviata" estreia em Belo Horizonte Por Nelson Rubens Kunze (27/4/2018)
A Camerata Romeu e a reinvenção da música Por João Marcos Coelho (26/4/2018)
Primeira escuta: Ronaldo Miranda estreia obra com a Osesp Por Nelson Rubens Kunze (25/4/2018)
Oito olhos azuis e muita música Por Jorge Coli (19/4/2018)
‘Missa’ de Bernstein é destaque no Theatro Municipal de São Paulo Por Nelson Rubens Kunze (10/4/2018)
“O Corego” e os primórdios da representação operística Por Camila Frésca (6/4/2018)
Natalie Dessay: uma expressão que transcende as palavras Por Irineu Franco Perpetuo (5/4/2018)
Os Músicos de Capella fazem primorosa ‘Paixão’ de Bach Por Nelson Rubens Kunze (29/3/2018)
A música não mente Por João Marcos Coelho (27/3/2018)
Enfim, uma sede para a Ospa! Por Nelson Rubens Kunze (26/3/2018)
A Osesp, Villa-Lobos e o “voo de galinha” Por João Marcos Coelho (23/3/2018)
Jan Lisiecki: para uma temporada de austeridade, um pianista nada austero Por Irineu Franco Perpetuo (14/3/2018)
“Lo Schiavo” em Campinas: encantamento e melancolia Por Jorge Coli (12/3/2018)
Villa-Lobos, a Semana de Arte Moderna e o Brasil Por Camila Frésca (8/3/2018)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Junho 2018 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
 

 
São Paulo:

26/6/2018 - Geneva Camerata e Pieter Wispelwey - violoncelo

Rio de Janeiro:
21/6/2018 - Luis Bomfim - voz e Regina Lacerda - piano

Outras Cidades:
22/6/2018 - Ribeirão Preto, SP - Semana Minaz de Corais
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2018 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046