Banner 180x60
Bom dia.
Sexta-Feira, 20 de Outubro de 2017.
 
E-mail:  Senha:

 

 
Nome

E-mail


 
Saiba como anunciar na Revista e no Site CONCERTO.
   


 

Vitrine Musical 2016 - Clique aqui e veja detalhes dos anunciantes

 
 
 
Orfeu nos infernos (1/11/2012)
Por Nelson Rubens Kunze

Fui ontem (31/10) assistir ao Orfeu e Eurídice de Gluck, nova produção do Teatro Municipal de São Paulo. Se você ainda não leu a excelente crítica de Leonardo Martinelli no Site CONCERTO, leia agora [clique aqui para ler]. Leonardo produziu um belo texto, “Orfeu nas alturas”, com uma esclarecedora e interessante interpretação da encenação do diretor cênico Antonio Araújo. Concordo com ele, gosto das montagens modernas. O conceito deste Orfeu lembrou o do Dido e Enéas de anos atrás, que então elenquei como das melhores produções do teatro naquele ano [leia aqui a minha resenha do Dido e Enéas].

Infelizmente, contudo, a parte boa do espetáculo terminou aí. A ópera foi montada dentro de uma obra (obra mesmo – não se aventure se você não estiver disposto a encarar tapumes e banheiros químicos sem iluminação!), em um espaço formado por uma “caixa de concreto” que no futuro será a sala de ensaios da Orquestra Sinfônica Municipal. Ok, um espaço com essas “características” pode ser muito estimulante para as ideias pouco ortodoxas de Antonio Araújo, mas não com todo ruído externo e uma temperatura ambiente que deveria estar acima dos 30 graus. Fácil deduzir que quem pagou a conta foi a música. O som da orquestra ficou comprometido e, para piorar, a amplificação das vozes solistas (concordo que imprescindível para esta montagem) estava desigual e desequilibrada. Os músicos, solistas, coros e maestro suavam em bicas (e nós também!), em um esforço que não sei se foi muito recompensador...

Não me interessam os formalismos e gosto de ideias novas. Acho também que temos de experimentar fórmulas diferentes (como essas propostas por Antonio Araújo) para alcançar novos públicos, revitalizar a ópera, integrar organicamente a música clássica na comunidade etc. Mas saí com a impressão de que o resultado da montagem – instigante que foi – não fez jus à partitura de Gluck, muito menos às excelentes vozes de Kilmara Pessatti, Gabriella Pace e Edna d’Oliveira, ao extraordinário maestro Nicolau de Figueiredo, aos músicos da Sinfônica Municipal e aos cantores do Coral Paulistano.

Ficou faltando a música para “que o mundo inteiro sirva ao império da beleza”...





Nelson Rubens Kunze - é diretor-editor da Revista CONCERTO

Mais Textos

Primeiras impressões sobre a temporada da Osesp Por João Marcos Coelho (29/9/2017)
“Tosca” tem montagem competente no Rio de Janeiro Por Nelson Rubens Kunze (28/9/2017)
Refinamento e inventividade em “Brazilian Landscapes” Por Camila Frésca (28/9/2017)
Um “Nabucco” problemático no Theatro Municipal de São Paulo Por João Luiz Sampaio (26/9/2017)
Na estreia com a Osesp, Leonardo Hilsdorf encanta a Sala São Paulo Por Irineu Franco Perpetuo (22/9/2017)
Festival de Ópera do Theatro da Paz faz bom “Don Giovanni” Por Nelson Rubens Kunze (19/9/2017)
Penderecki e Szymanowski: uma noite musical maior Por Jorge Coli (18/9/2017)
Novo fôlego para a ópera no RS Por Everton Cardoso (8/9/2017)
Wagner de boa qualidade, mas sem lirismo e vigor dramático Por Jorge Coli (4/9/2017)
Finalmente Dudamel “suja” mãos e batuta com a “política” Por João Marcos Coelho (24/8/2017)
Dobradinha “Pulcinella & Arlecchino” tem boa realização no Theatro São Pedro Por Nelson Rubens Kunze (23/8/2017)
O bel canto colorido e expressivo de Javier Camarena Por Irineu Franco Perpetuo (10/8/2017)
Osesp faz belo concerto com programa raro Por Jorge Coli (9/8/2017)
Terceira edição do Festival Vermelhos consolida projeto cultural em Ilhabela Por Camila Frésca (8/8/2017)
Em busca da música Por João Marcos Coelho (28/7/2017)
Neojiba: o exemplo da Bahia para o Brasil Por Irineu Franco Perpetuo (24/7/2017)
Você conhece José Vieira Brandão? Por João Marcos Coelho (12/7/2017)
Campos do Jordão, Salzburg e a economia da cultura Por Nelson Rubens Kunze (12/7/2017)
Rameau em “dreadlocks” Por Jorge Coli (11/7/2017)
Isabelle Faust, Vadim Repin e Julian Rachlin: sobre expectativas, decepções e boas surpresas Por Camila Frésca (5/7/2017)
Encomenda da Osesp mostra Mehmari maduro Por Irineu Franco Perpetuo (3/7/2017)
Fórum apresenta importantes orientações para “endowments” culturais no Brasil Por Nelson Rubens Kunze (10/6/2017)
Filme “Filhos de Bach” marca por sua sensibilidade e delicadeza Por Nelson Rubens Kunze (9/6/2017)
Transformação social e o futuro da música clássica Por Anahi Ravagnani e Leonardo Martinelli (30/5/2017)
Os extras contemporâneos de Isabelle Faust na Sala São Paulo Por João Marcos Coelho (25/5/2017)
Festival Amazonas de Ópera encena ‘Tannhäuser’ e comemora 20ª edição Por Nelson Rubens Kunze (23/5/2017)
 
Ver todos os textos anteriores
 
<< voltar

 


< Mês Anterior Outubro 2017 Próximo Mês >
D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
 

 
São Paulo:

22/10/2017 - Ópera Liquid Voices: A história de Mathilda Segalescu, de Jocy de Oliveira (estreia mundial)

Rio de Janeiro:
30/10/2017 - Orquestra Nacional do Capitólio de Toulouse

Outras Cidades:
22/10/2017 - Curitiba, PR - III Festival de Ópera do Paraná
 




Clássicos Editorial Ltda. © 2017 - Todos os direitos reservados.

Rua João Álvares Soares, 1404
CEP 04609-003 – São Paulo, SP
Tel. (11) 3539-0045 – Fax (11) 3539-0046