Retrospectiva 2012 – João Guilherme Ripper (depoimento de dezembro de 2012)

por Redação CONCERTO 21/01/2013

“A Sala Cecília Meireles, que reabrirá no segundo semestre de 2013, realizou sua temporada no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Destaco as apresentações do duo Labèque, Ensemble InterContemporain, Nicola Benedetti, Concerto Köln e Leon Fleisher como solista da Filarmônica de Minas Gerais, dirigida por Fabio Mechetti. O ano foi especial para minhas óperas. Piedade estreou em abril com direção de André Heller-Lopes e Isaac Karabtchevsky à frente da Orquestra Petrobras Sinfônica, e foi reapresentada em forma de concerto no Festival Internacional de Campos do Jordão. Também em julho, o Festival Internacional de Música de Campina Grande incluiu a ópera de câmara Domitila na sua programação. A nova versão de Anjo negro, baseada em peça de Nelson Rodrigues, recebeu montagem de André Heller-Lopes no parque Lage, em outubro, com a Orquestra Sinfônica Brasileira Ópera & Repertório, dirigida por Abel Rocha. Em meu segundo concerto como compositor do Kean University Artist Program, em Nova Jersey, apresentei em abril a primeira audição de From my Window nº 3, para quinteto com piano. Em junho, o Quinteto Villa-Lobos e a Orquestra Petrobras Sinfônica, com regência de Carlos Prazeres, estrearam o Concerto a cinco, obra encomendada para os 50 anos do grupo. O concerto foi tocado ainda pela Ospa, com Victor Hugo Toro, e pela Orquestra Sinfônica da UFRJ, com Roberto Duarte. Em dezembro, participei da série Brasilianische Kammermusik 2012 em Karlsruhe, na Alemanha. O programa incluiu Matinas, para oboé e quinteto de cordas, From my Window nº 3 e o quinteto de sopros Visions from the Absence. O final do ano marcou ainda o lançamento do CD duplo da ópera Piedade, da Orquestra Petrobras Sinfônica.”

João Guilherme Ripper, compositor e diretor da Sala Cecília Meireles, RJ
 

[Leia outros depoimentos na edição de janeiro-fevereiro da Revista CONCERTO.]