“A viúva alegre” encerra temporada lírica do Municipal do Rio

por Redação CONCERTO 27/11/2012

Nos dias 28 e 30 de novembro e 2, 4, 7 e 9 de dezembro o Teatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta uma nova montagem de A viúva alegre, opereta do húngaro Franz Lehár, que tem aqui a versão traduzida por Millôr Fernandes. No papel principal estará a soprano Rosana Lamosa (Hanna Gláwari), que divide o palco com Homero Velho (Conde Dánilo), Licio Bruno (Barão Zeta), Carla Domingues (Valencienne), Max Jota (Camille de Rosillon) e ainda com o ator Cássio Scapin (Njégus) e a Cia Jovem de Ballet. A Orquestra Sinfônica e Coro do Municipal do Rio serão dirigidos por Silvio Viegas

 

Este é o quarto título realizado pelo Municipal do Rio em parceria com a Fundação Clóvis Salgado, de Belo Horizonte, e conta com a direção cênica do baixo-barítono Licio Bruno, que também interpreta o papel do Barão Zeta nesta livre adaptação da montagem criada por Jorge Takla, apresentada em outubro passado no Palácio das Artes.

Dividida em três atos, a história se passa em Paris, no início do século XX. Viúva de um banqueiro e herdeira de grande fortuna, Hanna Gláwari é convidada para uma recepção na Embaixada de Pontevedro, sua terra natal. Temendo que a viúva gaste tudo no estrangeiro e arruíne as finanças do pequeno país, o embaixador e Barão Mirko Zeta planeja o casamento dela com o sedutor Conde Dánilo Danílovitsch, diplomata conterrâneo que também se encontra em Paris. Os dois já haviam se apaixonado no passado, mas foram proibidos de se casar pelo pai do Conde, que não aceitava a origem humilde de Hanna. Depois de revê-lo na recepção, Hanna o convida para uma festa a fantasia em seu jardim na noite seguinte. No entanto, quando ele a vê com o jovem parisiense Camille de Rosillon, e ambos anunciam o casamento, o Conde se desespera e vai para a boate Maxim’s, para afogar as mágoas com champanhe, ao lado de grisettes e dançarinas de cancã. No entanto, tratava-se apenas de uma manobra da viúva para que o Barão não visse sua esposa Valencienne flertando com Camille. Para desfazer o mal-entendido, elas chamam as grisettes e dançarinas do Maxim’s para a festa, recriando o ambiente da casa preferida do Conde. Encontrando a boate deserta, ele volta à festa e Hanna então lhe conta a verdade. Os dois confessam seu amor e decidem se casar.

[Veja detalhes no Roteiro Musical]