Luiz Aguiar (1935-2014)

por Redação CONCERTO 26/03/2014

Na última sexta-feira, dia 21 de março, morreu em Belo Horizonte o maestro Luiz Aguiar, um dos mais ativos e queridos nomes da música clássica de Minas Gerais. Ele tinha 78 anos, e foi enterrado no cemitério do Bonfim, na capital mineira. Especialista na obra de Carlos Gomes, durante anos Aguiar foi o nome da cena operística da cidade, dirigindo cerca de 80 óperas em 60 anos de carreira – celebrados no ano passado.

 

Filho de italianos, Luiz Aguiar foi testemunha e agente das mudanças na cena musical de Belo Horizonte. Sob pressão dos pais, entrou no curso de medicina. Uma bolsa para estudar música na Itália, porém, mudou os rumos da vida do jovem, que, retornando de Roma, foi jubilado da faculdade e decidiu seguir a carreira artística.

Durante seus 60 anos de atividade, trabalhou pela ópera, participando ativamente do processo de modernização das produções, primeiro no Teatro Francisco Nunes, depois no Palácio das Artes.

Com estreita relação com a Fundação Clóvis Salgado, o maestro atuou como preparador do coral da instituição e regente interno de grandes produções, como A flauta mágica, em 1984, Lucia di Lammermoor, em 1985, e O guarani, em 2002. Sua última grande produção foi em 2011, quando atuou como régisseur em La bohème, de Puccini.

Clássicos Editorial Ltda. © 2014 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.