Músicos da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto anunciam paralisação por salários atrasados

por Redação CONCERTO 01/09/2014

Após mais de um ano convivendo com problemas financeiros, os músicos da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto iniciaram na semana passada uma paralisação em suas atividades. A crise, herdada da gestão anterior da orquestra, vem sendo denunciada há meses em redes sociais. Segundo os músicos, o motivo da paralisação são os atrasos recorrentes no pagamento de salários.

Antes da paralisação, uma comissão de músicos já havia sido formada para negociar com a diretoria da Sinfônica de Ribeirão Preto, e um acordo decidira pela diminuição na carga horária de trabalho, permitindo aos músicos exercerem outras atividades fora da orquestra.

Segundo Cyrilo Luciano Gomes Júnior, atual presidente da orquestra, a crise foi agravada pela conjuntura econômica, que teria desestimulado empresas a contribuírem com o grupo por meio de políticas de renúncia fiscal, como a Lei Rouanet.

Uma das mais antigas do Brasil, a Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto é uma instituição privada. Fundada em 1921, a orquestra se consolidou como um dos mais importantes grupos brasileiros sediados fora de uma capital. Em sua história, já recebeu grandes nomes da música brasileira, como Eleazar de Carvalho, Roberto Minczuk, Alex Klein, João Carlos Martins, Nelson Freire e Antonio Meneses. Confira abaixo a carta aberta escrita pelos músicos da Sinfônica de Ribeirão Preto a respeito da paralisação:


Carta aberta dos músicos da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto à população de Ribeirão Preto e apreciadores da orquestra em todo o Brasil

Nós, músicos dessa que é a primeira orquestra mais antiga do país em atividade, viemos por meio desta explicar os motivos da nossa paralisação.

A Associação Musical de Ribeirão Preto (mantenedora da orquestra) atravessa uma grave crise financeira. A atual administração não pode ser responsabilizada por isso e tem se empenhado em resolver a situação, mas infelizmente seus esforços não estão sendo suficientes.

Há pouco mais de um ano começaram os atrasos em nossos pagamentos. Atualmente estamos com quase dois meses de atraso no salário e direitos trabalhistas. Quando o pagamento acontece, não há nenhum reajuste por conta dos atrasos.

Apesar de toda a dificuldade, por amor à música e respeito ao nosso prezado público e patrocinadores, mantivemos a rotina de concertos, na esperança de que a situação se resolvesse. Nos orgulhamos muito da capacidade e comprometimento de todos os músicos, que por verdadeira devoção à arte em nenhum momento deixaram esses fatores externos atrapalharem o desempenho n palco. Durante esse período fizemos concertos memoráveis, com maestros e solistas de renome internacional e repertório significativo, os quais só grandes orquestras profissionais, como a nossa, conseguem realizar com maestria.

Mesmo com todo esforço, nos encontramos numa situação insustentável. Nossas dívidas estão cada vez maiores. Muitos de nós estão com o aluguel atrasado, recebendo cobranças das escolas dos filhos e pagando juros nas parcelas de financiamentos. Até mesmo coisas essenciais como alimentação e locomoção estão sendo afetadas pela falta de dinheiro. Além disso, estamos com dificuldade para mantermos nossos instrumentos em boas condições, visto que toda manutenção (troca de cordas, sapatilhas, palhetas etc.) fica sob nossa responsabilidade.

Agora nossa necessidade é imediata, precisamos de novos rumos e uma atuação forte da nossa sociedade, empresas e poder público.

Ninguém se entristece mais que nós pela impossibilidade de fazer aquilo que amamos e nos dedicamos inteiramente durante anos. Pedimos a compreensão do nosso público, patrocinadores e parceiros, na esperança de que em breve possamos retomar nossas atividades.

Músicos da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto

Clássicos Editorial Ltda. © 2014 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.