OSB recua e marca reunião com demitidos

por Redação CONCERTO 08/04/2011

Conforme notícia divulgada na noite de ontem (07/04) pela folha.com e pelo estadão.com.br, o Orquestra Sinfônica Brasileira tomou a iniciativa de marcar uma reunião, para a tarde desta sexta-feira, com os músicos demitidos. Segundo a nota, Eleazar de Carvalho Filho (foto), presidente da Fundação OSB (Fosb), teria enviado carta aos 32 instrumentistas dizendo que nunca é tarde para salvar uma grande instituição, que não cabe afirmar de quem é a culpa [pela crise] e que durante esta polêmica a imagem da orquestra teria sido “seriamente alvejada”.

 

A Orquestra Sinfônica Brasileira atravessa grave crise em consequência de um projeto de reestruturação proposta pela Fundação OSB, que entre outros objetivos propõe maior dedicação dos músicos com um expressivo aumento em seus salários. Os músicos, porém, se negaram a participar de uma polêmica avaliação de desempenho e entraram na justiça. O processo jurídico deu ganho à Fosb, que acabou demitindo 32 músicos por “insubordinação grave”. A arrogância e desumanidade das ações da direção da orquestra, contudo, levaram a um total isolamento da Fundação OSB na cena cultural carioca, com cancelamentos de grandes solistas e manifestações de repúdio de diversas personalidades.

O recuo da Fosb é auspicioso. Retomando as negociações, a direção sinaliza seu interesse em abrir novas janelas para a solução da crise.

[Clique aqui para ler a notícia da folha.com]

[Clique aqui para ler a notícia do estadao.com.br]

[Clique aqui para ler a carta de Eleazar de Carvalho Filho]